Menor acusado de matar tenente da PM morre em confronto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/10/2016 às 09:31:00

 

Um adolescente de 17 anosmorreu durante um cerco policial ocorrido ao final da madrugada de ontem, em uma casa na zona rural de Itaporanga D'Ajuda (Sul). Ele era acusado de envolvimento com o assassinato do tenente da Polícia Militar Temístocles Almeida, ocorrido no dia 17 de setembro, em um bar no bairro Coqueiral (zona norte de Aracaju). Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), do Comando de Operações Especiais (COE), do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp) foram mobilizadas para cumprir um mandado de internação contra o menor, que reagiu à abordagem e morreu a caminho do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), na capital. 
Segundo o delegado Jonathas Evangelista, diretor do DHPP, o rapaz já vinha sendo investigado por envolvimento no crime e seria um dos três homens que, na noite do crime, entraram no bar e executaram Temístocles, com o objetivo de roubar-lhe uma pistola calibre ponto 40. "A investigação desde o início indicava a participação de um grupo do Coqueiral. Foi constatado que o crime foi um latrocínio, com a motivação de roubar a arma de fogo do tenente Temístocles e a que se encontrava no estabelecimento. Nós sabemos que uma pistola particular foi levada na ação criminosa, além dos celulares das vítimas", explicou o delegado. 
Já o major Vitor Anderson de Moraes, comandante do BPRp, informou que a operação começou após a confirmação de informações encaminhadas à Policia Civil sobre a localização do suspeito, que chegou a acertar dois tiros no escudo de um soldado do COE. "Foi feito o cerco na madrugada, o menor estava com um senhor de idade que atendeu os policiais, permitiu a entrada deles, no entanto afirmava que o adolescente não estava no local. No último cômodo da casa, foi constatada a presença do suspeito. Ele efetuou dois disparos no escudo balístico que foi levado na operação e acabou sendo baleado no confronto. Foi atendido imediatamente, mas infelizmente acabou por falecer", afirmou. O menor estava com um revólver calibre 38 e uma pequena quantidade de maconha. A polícia destaca que, apesar da pouca idade, ele já tinha cometido uma extensa lista de atos infracionais, inclusive homicídios. 
Outros três suspeitos do crime contra o tenente, identificados como Adenilson Teixeira Santos, o "Ninho", 18, Romário Torres Nascimento, 22, e um adolescente de 13 anos, foram mortos em 29 de setembro, em outro confronto com policiais que cercavam uma casa no povoado Massapê, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba). Um deles estava com a pistola roubada do oficial. O delegado do DHPP avalia que, de inicio, a investigação foi concluída, mas a situação pode mudar caso novas informações sejam colhidas. "Ainda estamos dentro do prazo de conclusão de inquérito policial e esse era o nosso último suspeito dos que foram levantados inicialmente, com todas as provas que foram colhidas até o momento. Vamos analisar para ver se outras pessoas participaram. Não descartamos que outras informações surjam e outras pessoas tenham participado do evento", declara Jonathas.

Um adolescente de 17 anosmorreu durante um cerco policial ocorrido ao final da madrugada de ontem, em uma casa na zona rural de Itaporanga D'Ajuda (Sul). Ele era acusado de envolvimento com o assassinato do tenente da Polícia Militar Temístocles Almeida, ocorrido no dia 17 de setembro, em um bar no bairro Coqueiral (zona norte de Aracaju). Equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), do Comando de Operações Especiais (COE), do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp) foram mobilizadas para cumprir um mandado de internação contra o menor, que reagiu à abordagem e morreu a caminho do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), na capital. 

Segundo o delegado Jonathas Evangelista, diretor do DHPP, o rapaz já vinha sendo investigado por envolvimento no crime e seria um dos três homens que, na noite do crime, entraram no bar e executaram Temístocles, com o objetivo de roubar-lhe uma pistola calibre ponto 40. "A investigação desde o início indicava a participação de um grupo do Coqueiral. Foi constatado que o crime foi um latrocínio, com a motivação de roubar a arma de fogo do tenente Temístocles e a que se encontrava no estabelecimento. Nós sabemos que uma pistola particular foi levada na ação criminosa, além dos celulares das vítimas", explicou o delegado. 

Já o major Vitor Anderson de Moraes, comandante do BPRp, informou que a operação começou após a confirmação de informações encaminhadas à Policia Civil sobre a localização do suspeito, que chegou a acertar dois tiros no escudo de um soldado do COE. "Foi feito o cerco na madrugada, o menor estava com um senhor de idade que atendeu os policiais, permitiu a entrada deles, no entanto afirmava que o adolescente não estava no local. No último cômodo da casa, foi constatada a presença do suspeito. Ele efetuou dois disparos no escudo balístico que foi levado na operação e acabou sendo baleado no confronto. Foi atendido imediatamente, mas infelizmente acabou por falecer", afirmou. O menor estava com um revólver calibre 38 e uma pequena quantidade de maconha. A polícia destaca que, apesar da pouca idade, ele já tinha cometido uma extensa lista de atos infracionais, inclusive homicídios. 

Outros três suspeitos do crime contra o tenente, identificados como Adenilson Teixeira Santos, o "Ninho", 18, Romário Torres Nascimento, 22, e um adolescente de 13 anos, foram mortos em 29 de setembro, em outro confronto com policiais que cercavam uma casa no povoado Massapê, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba). Um deles estava com a pistola roubada do oficial. O delegado do DHPP avalia que, de inicio, a investigação foi concluída, mas a situação pode mudar caso novas informações sejam colhidas. "Ainda estamos dentro do prazo de conclusão de inquérito policial e esse era o nosso último suspeito dos que foram levantados inicialmente, com todas as provas que foram colhidas até o momento. Vamos analisar para ver se outras pessoas participaram. Não descartamos que outras informações surjam e outras pessoas tenham participado do evento", declara Jonathas.