Irmãos são fuzilados na Barra em suposto acerto de contas do crime

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto


Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 20/10/2016 às 09:08:00

 

Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br
Uma execução plane
jada, segundo as pri
meiras conclusões da polícia, resultou na morte de dois dos 'Irmãos Catenga', apontados como autores de vários crimes ocorridos na zona oeste de Aracaju ao longo dos últimos 15 anos. Os ex-presidiáriosElson Bomfim Santos, 34 anos, e Aelson Bomfim Santos, 33, foram assassinados por volta das 15h de ontem na rodovia SE-100, junto ao povoado Capuã, na Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju). Os dois estavam em um carro Renault Sandero de cor preta e placa NML-3518/SE, que foi perseguido e atingido por mais de 30 tiros de revólveres e pistolas. Ainda não há pistas sobre a identidade dos assassinos, que estavam em outros três carros. 
De acordo com as informações levantadas no local, Elso e Aelso passavam de carro pelo povoado, a caminho de Pirambu, e começaram a ser seguidos pelos atiradores, que estavam nos três carros e teriam aguardado por eles em algum terreno. De acordo com o sargento Cláudio Nunes, da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar (2ª CIPM), a perseguição se estendeu por cerca de 200 metros e, por todo o trecho, os criminosos fizeram vários disparos contra o Sandero. "Eles começaram a atirar com o carro ainda em movimento. Um dos disparos atingiu o Elso, que era um condutor do veículo. Ele perdeu o controle e acabou batendo o carro em um poste, ao lado de um bar", explicou o policial. 
Em seguida ao acidente, os matadores desceram e atiraram mais vezes contra os irmãos, que morreram ainda presos aos cintos de segurança. O grupo voltou aos carros e fugiu pelo mesmo caminho de Pirambu. Nunes disse ao JORNAL DO DIA que poucas testemunhas oculares do crime foram identificadas e que estas não souberam identificar quantos homens participaram do ataque aos 'Catenga'. No entanto, a principal linha de investigação aponta para um crime planejado. "Pelas características, suspeitamos que os irmãos tenham sido atraídos por alguém até o povoado, até porque eles nem eram conhecidos do povoado. O local quase não tem habitantes, fica no meio de uma estrada e pode ter sido escolhido pelos que queriam matá-los. Tudo indica que pode ter sido um acerto de contas, devido também ao histórico das vítimas", acredita o sargento. 
Muitos curiosos estiveram no local, mas nenhum deles colaborou com os levantamentos iniciais da polícia. Peritos dos institutos Médico-Legal (IML) e de Criminalística recolheram capsulas de pistolas achadas no trajeto da perseguição e encontraram uma pequena quantia de maconha, escondida em um dos sapatos calçados por Elson. Constatou-se também que os irmãos estavam desarmados. Os corpos foram recolhidos pelo IML no final da tarde. A 11ª Delegacia Metropolitana (11ª DM), na Barra, vai investigar o caso, mas poderá ter o apoio da própria PM e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 
Histórico - Conhecidos como 'Irmãos Catenga', Elson e Aelson moravam no bairro Olaria (zona oeste) e eram acusados pela polícia de liderar uma quadrilha responsável por mais de 20 crimes de homicídio e tráfico de drogas, ocorridos principalmente nos bairros Bugio, Veneza, Olaria, Almirante Tamandaré e Jardim Centenário. Os dois chegaram a ser presos em 2006, em companhia de um terceiro irmão, Eduardo, mas um deles, Elson, fugiu da carceragem da antiga Delegacia de Homicídios, no Orlando Dantas (zona sul), e só foi recapturado em 29 de março de 2011. Na ocasião, a delegada Thereza Simony, do DHPP, citou que as mortes atribuídas aos 'Catenga' "foram crimes praticados com muita crueldade, porque há notícias de que as vítimas chegavam a ser esquartejadas". 
Em abril de 2013, Elson e Aelson foram condenados respectivamente a 21 e a 24 anos de prisão, pela morte do ex-presidiário José dos Santos, o 'Zé Biquinho', executado na manhã do dia 08 de agosto de 2005, em uma rua do Conjunto Maria do Carmo II, no Olaria. Segundo a denúncia do Ministério Público na época, 'Biquinho' levou cerca de 15 tiros pelas costas  depois de deixar a filha na escola e a autoria do crime foi atribuída aos irmãos mortos na tarde de ontem. Eles cumpriram parte da pena e estavam atualmente em liberdade condicional.  

Gabriel Damásio

gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br


Uma execução planejada, segundo as primeiras conclusões da polícia, resultou na morte de dois dos 'Irmãos Catenga', apontados como autores de vários crimes ocorridos na zona oeste de Aracaju ao longo dos últimos 15 anos. Os ex-presidiáriosElson Bomfim Santos, 34 anos, e Aelson Bomfim Santos, 33, foram assassinados por volta das 15h de ontem na rodovia SE-100, junto ao povoado Capuã, na Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju). Os dois estavam em um carro Renault Sandero de cor preta e placa NML-3518/SE, que foi perseguido e atingido por mais de 30 tiros de revólveres e pistolas. Ainda não há pistas sobre a identidade dos assassinos, que estavam em outros três carros. 

De acordo com as informações levantadas no local, Elso e Aelso passavam de carro pelo povoado, a caminho de Pirambu, e começaram a ser seguidos pelos atiradores, que estavam nos três carros e teriam aguardado por eles em algum terreno. De acordo com o sargento Cláudio Nunes, da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar (2ª CIPM), a perseguição se estendeu por cerca de 200 metros e, por todo o trecho, os criminosos fizeram vários disparos contra o Sandero. "Eles começaram a atirar com o carro ainda em movimento. Um dos disparos atingiu o Elso, que era um condutor do veículo. Ele perdeu o controle e acabou batendo o carro em um poste, ao lado de um bar", explicou o policial. 

Em seguida ao acidente, os matadores desceram e atiraram mais vezes contra os irmãos, que morreram ainda presos aos cintos de segurança. O grupo voltou aos carros e fugiu pelo mesmo caminho de Pirambu. Nunes disse ao JORNAL DO DIA que poucas testemunhas oculares do crime foram identificadas e que estas não souberam identificar quantos homens participaram do ataque aos 'Catenga'. No entanto, a principal linha de investigação aponta para um crime planejado. "Pelas características, suspeitamos que os irmãos tenham sido atraídos por alguém até o povoado, até porque eles nem eram conhecidos do povoado. O local quase não tem habitantes, fica no meio de uma estrada e pode ter sido escolhido pelos que queriam matá-los. Tudo indica que pode ter sido um acerto de contas, devido também ao histórico das vítimas", acredita o sargento. 

Muitos curiosos estiveram no local, mas nenhum deles colaborou com os levantamentos iniciais da polícia. Peritos dos institutos Médico-Legal (IML) e de Criminalística recolheram capsulas de pistolas achadas no trajeto da perseguição e encontraram uma pequena quantia de maconha, escondida em um dos sapatos calçados por Elson. Constatou-se também que os irmãos estavam desarmados. Os corpos foram recolhidos pelo IML no final da tarde. A 11ª Delegacia Metropolitana (11ª DM), na Barra, vai investigar o caso, mas poderá ter o apoio da própria PM e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 


Histórico - Conhecidos como 'Irmãos Catenga', Elson e Aelson moravam no bairro Olaria (zona oeste) e eram acusados pela polícia de liderar uma quadrilha responsável por mais de 20 crimes de homicídio e tráfico de drogas, ocorridos principalmente nos bairros Bugio, Veneza, Olaria, Almirante Tamandaré e Jardim Centenário. Os dois chegaram a ser presos em 2006, em companhia de um terceiro irmão, Eduardo, mas um deles, Elson, fugiu da carceragem da antiga Delegacia de Homicídios, no Orlando Dantas (zona sul), e só foi recapturado em 29 de março de 2011. Na ocasião, a delegada Thereza Simony, do DHPP, citou que as mortes atribuídas aos 'Catenga' "foram crimes praticados com muita crueldade, porque há notícias de que as vítimas chegavam a ser esquartejadas". 

Em abril de 2013, Elson e Aelson foram condenados respectivamente a 21 e a 24 anos de prisão, pela morte do ex-presidiário José dos Santos, o 'Zé Biquinho', executado na manhã do dia 08 de agosto de 2005, em uma rua do Conjunto Maria do Carmo II, no Olaria. Segundo a denúncia do Ministério Público na época, 'Biquinho' levou cerca de 15 tiros pelas costas  depois de deixar a filha na escola e a autoria do crime foi atribuída aos irmãos mortos na tarde de ontem. Eles cumpriram parte da pena e estavam atualmente em liberdade condicional.