Iran Barbosa denuncia o aumento de nomeações na prefeitura de Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/10/2016 às 09:46:00

 

"É este o cenário melancólico de desrespeito aos cidadãos aracajuanos e aos servidores públicos". "É este o cenário melancólico de desrespeito aos cidadãos aracajuanos e aos servidores públicos". Em meio ao cenário de caos administrativo no qual se encontra a prefeitura de Aracaju, um fato chamou a atenção do vereador Iran Barbosa (PT): o aumento de nomeações, após o 1º turno eleitoral. O parlamentar utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Aracaju, nesta quinta-feira, 20, para denunciar esta situação.
Iran informou que está fazendo o levantamento dos dados no Diário Oficial do Município. "São nomeações com valores elevados e cargos com o carimbo dos acordos políticos", denunciou.
O parlamentar disse ser fundamental que o Ministério Público e o Tribunal de Contas, enquanto órgãos fiscalizadores, tomem as providências necessárias. "Enquanto a prefeitura não paga os servidores públicos e abandona a cidade, ao mesmo tempo, faz nomeações de Cargos em final de mandato", disse Iran, afirmando, mais uma vez, que já está estudando o caso.
Iran Barbosa aproveitou, ainda, o tempo no grande expediente para destacar as notícias que foram veiculadas na imprensa sergipana sobre a possível suspensão do atendimento dos servidores municipais pelo Ipesaúde, por falta de repasses do pagamento do Convênio por parte da gestão municipal.
De acordo com a imprensa, cerca de sete mil servidores públicos do município devem ser atingidos com essa medida. "Não bastasse não receberem os salários, os trabalhadores municipais estão na iminência de perder o atendimento do plano de saúde porque tem três meses que a gestão municipal não faz o repasse para o Ipesaúde", lamentou Iran, acrescentando que "é este o cenário melancólico de desrespeito aos cidadãos aracajuanos e aos servidores públicos".
O vereador questionou para onde está indo o dinheiro público, visto que, segundo os dados apresentados pela própria Secretaria da Fazenda do Município, Aracaju tem uma situação financeira confortável, o que não justifica esse abandono geral.

"É este o cenário melancólico de desrespeito aos cidadãos aracajuanos e aos servidores públicos". "É este o cenário melancólico de desrespeito aos cidadãos aracajuanos e aos servidores públicos". Em meio ao cenário de caos administrativo no qual se encontra a prefeitura de Aracaju, um fato chamou a atenção do vereador Iran Barbosa (PT): o aumento de nomeações, após o 1º turno eleitoral. O parlamentar utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Aracaju, nesta quinta-feira, 20, para denunciar esta situação.

Iran informou que está fazendo o levantamento dos dados no Diário Oficial do Município. "São nomeações com valores elevados e cargos com o carimbo dos acordos políticos", denunciou.

O parlamentar disse ser fundamental que o Ministério Público e o Tribunal de Contas, enquanto órgãos fiscalizadores, tomem as providências necessárias. "Enquanto a prefeitura não paga os servidores públicos e abandona a cidade, ao mesmo tempo, faz nomeações de Cargos em final de mandato", disse Iran, afirmando, mais uma vez, que já está estudando o caso.

Iran Barbosa aproveitou, ainda, o tempo no grande expediente para destacar as notícias que foram veiculadas na imprensa sergipana sobre a possível suspensão do atendimento dos servidores municipais pelo Ipesaúde, por falta de repasses do pagamento do Convênio por parte da gestão municipal.

De acordo com a imprensa, cerca de sete mil servidores públicos do município devem ser atingidos com essa medida. "Não bastasse não receberem os salários, os trabalhadores municipais estão na iminência de perder o atendimento do plano de saúde porque tem três meses que a gestão municipal não faz o repasse para o Ipesaúde", lamentou Iran, acrescentando que "é este o cenário melancólico de desrespeito aos cidadãos aracajuanos e aos servidores públicos".

O vereador questionou para onde está indo o dinheiro público, visto que, segundo os dados apresentados pela própria Secretaria da Fazenda do Município, Aracaju tem uma situação financeira confortável, o que não justifica esse abandono geral.