Cheirinho de virada

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/10/2016 às 09:59:00


Um dia depois da divulgação dos 
resultados das primeiras pesqui
sas sobre intenção de votos neste segundo turno das eleições em Aracaju (Instituto Única e Ibope), os dois lados da coordenação de campanhas saíram comemorando. Um porque confirma a dianteira nos números (Valadares Filho) e outro porque sente que o momento é de virada (Edvaldo Nogueira).
Nas duas pesquisas Valadares Filho, do PSB, mantém a dianteira na preferência de intenções de votos. Na do Instituto Única, divulgada pelo jornalismo da TV Atalaia, ele aparece com um índice de 40,2%, contra 39,2% de Edvaldo Nogueira, candidato pelo PCdoB. Esse resultado é o empate técnico mais óbvio, já a margem de erro é de 4% e o intervalo de confiança é de 95%. Essa pesquisa foi divulgada na quinta-feira e foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número SE 04399/2016. Até o dia 30 desse mês o instituto promete mais duas pesquisas.
Já no levantamento feito pelo Ibope, encomendado pela TV Sergipe, os números divergem um pouco, mas mantêm o empate técnico entre os dois candidatos. Nesta, Valadares Filho aparece com 44% das intenções de votos (pela margem de erro, que é de 4%, seria entre 40% e 48%). O adversário Edvaldo Nogueira aparece com 41% (pela margem de erro, entre 37% e 45%). Ou seja, tudo empatado. Assim como terminou praticamente empatado o primeiro turno, com Edvaldo obtendo 38,76% dos votos válidos (99.815) e Valadares Filho 38,09% (98.071).
E de onde vem então o cheiro de virada na campanha de Edvaldo? Vem de dois lados: da rearrumação da estratégia de campanha - chegando a contratar mais gente com larga experiência fora de Sergipe - e dos equívocos do adversário que em determinado momento entrou num clima de "já ganhou". O discurso de "novo" do candidato Valadares Filho está se perdendo. O seu pai, senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que por si só já representa o que há de mais "velho" na política, faz interferências em favor do filho de forma indevida. Ataca desafetos, rompe acordos, joga na lata do lixo a diplomacia necessária na política. E nada disso ajuda.
Mas o maior golpe na campanha do candidato do PSB, até então, veio do chamado 'fogo amigo'. A revelação - e confissão espontânea - de que João Alves (DEM) está indubitavelmente ligado à campanha de Valadares Filho foi um banho de água fria no staff. Nesse momento, é lógico, o atual prefeito de Aracaju não soma nada. Pelo contrário. Suas trapalhadas e tropeços na gestão municipal têm força suficiente para empurrar qualquer candidatura para o fundo do poço. É o melhor cabo eleitoral de Edvaldo Nogueira nesta reta final de campanha.
João Alves, que sequer agrada aliados em sua gestão, saiu das urnas no dia 2 de outubro deste ano com pífios 25.715 votos dos aracajuanos. Só que de lá para cá, sua situação piorou por conta no agravamento dos problemas na saúde pública municipal, o débito com o Ipes (que deixou servidores da PMA sem assistência médica), as pendengas com a Cavo, o calote nos professores, os inúmeros débitos com fornecedores e o inevitável distanciamento dos serviços básicos oferecidos à população. E foi justamente esse João Alves que resolveu aderir à candidatura de Valadares Filho neste segundo turno, por mais que o candidato negue, mas como dizem os políticos: ninguém é menino.
Sabe-se que Edvaldo Nogueira e sua candidata a vice-prefeita Eliane Aquino (PT) ganharam ânimo. O marketing deles melhorou bastante e soube tirar muito proveito dessa aliança tenebrosa João Alves/Valadares Filho. E se por um lado a coisa fede a mesmice, por outro, o cheirinho de virada direciona boas perspectivas para o candidato do PCdoB nesta última semana de campanha. Sentido crescente.Gilson Sou

Gilson Sousa

 

Cheirinho de virada

Um dia depois da divulgação dos resultados das primeiras pesquisas sobre intenção de votos neste segundo turno das eleições em Aracaju (Instituto Única e Ibope), os dois lados da coordenação de campanhas saíram comemorando. Um porque confirma a dianteira nos números (Valadares Filho) e outro porque sente que o momento é de virada (Edvaldo Nogueira).

Nas duas pesquisas Valadares Filho, do PSB, mantém a dianteira na preferência de intenções de votos. Na do Instituto Única, divulgada pelo jornalismo da TV Atalaia, ele aparece com um índice de 40,2%, contra 39,2% de Edvaldo Nogueira, candidato pelo PCdoB. Esse resultado é o empate técnico mais óbvio, já a margem de erro é de 4% e o intervalo de confiança é de 95%. Essa pesquisa foi divulgada na quinta-feira e foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número SE 04399/2016. Até o dia 30 desse mês o instituto promete mais duas pesquisas.

Já no levantamento feito pelo Ibope, encomendado pela TV Sergipe, os números divergem um pouco, mas mantêm o empate técnico entre os dois candidatos. Nesta, Valadares Filho aparece com 44% das intenções de votos (pela margem de erro, que é de 4%, seria entre 40% e 48%). O adversário Edvaldo Nogueira aparece com 41% (pela margem de erro, entre 37% e 45%). Ou seja, tudo empatado. Assim como terminou praticamente empatado o primeiro turno, com Edvaldo obtendo 38,76% dos votos válidos (99.815) e Valadares Filho 38,09% (98.071).

E de onde vem então o cheiro de virada na campanha de Edvaldo? Vem de dois lados: da rearrumação da estratégia de campanha - chegando a contratar mais gente com larga experiência fora de Sergipe - e dos equívocos do adversário que em determinado momento entrou num clima de "já ganhou". O discurso de "novo" do candidato Valadares Filho está se perdendo. O seu pai, senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que por si só já representa o que há de mais "velho" na política, faz interferências em favor do filho de forma indevida. Ataca desafetos, rompe acordos, joga na lata do lixo a diplomacia necessária na política. E nada disso ajuda.

Mas o maior golpe na campanha do candidato do PSB, até então, veio do chamado 'fogo amigo'. A revelação - e confissão espontânea - de que João Alves (DEM) está indubitavelmente ligado à campanha de Valadares Filho foi um banho de água fria no staff. Nesse momento, é lógico, o atual prefeito de Aracaju não soma nada. Pelo contrário. Suas trapalhadas e tropeços na gestão municipal têm força suficiente para empurrar qualquer candidatura para o fundo do poço. É o melhor cabo eleitoral de Edvaldo Nogueira nesta reta final de campanha.

João Alves, que sequer agrada aliados em sua gestão, saiu das urnas no dia 2 de outubro deste ano com pífios 25.715 votos dos aracajuanos. Só que de lá para cá, sua situação piorou por conta no agravamento dos problemas na saúde pública municipal, o débito com o Ipes (que deixou servidores da PMA sem assistência médica), as pendengas com a Cavo, o calote nos professores, os inúmeros débitos com fornecedores e o inevitável distanciamento dos serviços básicos oferecidos à população. E foi justamente esse João Alves que resolveu aderir à candidatura de Valadares Filho neste segundo turno, por mais que o candidato negue, mas como dizem os políticos: ninguém é menino.

Sabe-se que Edvaldo Nogueira e sua candidata a vice-prefeita Eliane Aquino (PT) ganharam ânimo. O marketing deles melhorou bastante e soube tirar muito proveito dessa aliança tenebrosa João Alves/Valadares Filho. E se por um lado a coisa fede a mesmice, por outro, o cheirinho de virada direciona boas perspectivas para o candidato do PCdoB nesta última semana de campanha. Sentido crescente.


------------------------------------------------------------------------------

"No inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise."

Dante Alighieri


O time

ACM Neto, prefeito de Salvador e uma das maiores lideranças do DEM no Brasil, Maria do Carmo, Vinícius Porto, José Carlos Machado, Jailton Santana, Dr. Marcos. Tudo pedindo voto para Valadares Filho. Assim fica difícil dizer à população que o prefeito João Alves não está neste time. Sinceridade deveria ser uma condição sine qua non (sem a qual não pode ser) em campanhas eleitorais. Caso contrário, é feio.


Bem vindos

Ainda ontem, durante entrevista na Ilha FM, com Magna Santana e Evenilson Santana, o candidato a prefeito Valadares Filho negou categoricamente sua junção com João Alves. Pelo contrário. Disse aos ouvintes do programa que a sua grande missão é reparar os danos deixados pelo prefeito João Alves. Para ele, Edvaldo Nogueira mente no desespero, quando afirma que ele está em aliança com João Alves. No entanto, avisa que qualquer cidadão é livre para votar nele. "E são todos bem vindos", disse.


Sem crise

Na mesma entrevista de ontem, Valadares Filho afirmou na Ilha que no possível Governo dele não haverá atraso de salários de servidores da Prefeitura de Aracaju. E que este ajuste será feito logo em janeiro. Ou seja, crise financeira é conversa para boi dormir.


Pedidos do Fórum

Importantes lideranças ligadas ao partido Rede Sustentabilidade, como Firmo do Robalo, que foi candidato a vereador, estão engajadas na campanha de Edvaldo Nogueira neste segundo turno. Assim como ele, muitos integram o importante Fórum em Defesa da Grande Aracaju, que discutiu o apoio oficial em reuniões e entregou ao candidato do PCdoB uma carta de apoio com pauta de reivindicações. Dentre elas, o compromisso de encaminhar, em 2017, para a Câmara de Vereadores os projetos da revisão do Plano Diretor; Plano de Mobilidade Urbana e do Plano de Saneamento Básico. Querem também de Edvaldo a implantação do Plano Municipal de Mata Atlântica (PMMA), instituído no artigo 38 da Lei da Mata Atlântica (11.428), de dezembro de 2006, além do retorno do Orçamento Participativo nos moldes tradicionais, com plenárias nos bairros.


Emerson fora

Em tempo: o candidato a prefeito pela Rede, Dr. Emerson Ferreira, que obteve 23.190 votos - a quarta colocação na eleição de 2 de outubro -, diz-se neutro no processo. "Acreditamos que uma posição de independência, reafirmando ideias e propostas, é a melhor forma de contribuir", confirmou Emerson, no dia 5 deste mês.


Peritos

Os peritos de Sergipe serão recebidos na segunda-feira, dia 24, pelo governador Jackson Barreto para discutir questões relativas à carreira. Ontem pela manhã eles fizeram um ato na porta da Seplag (rua Vila Cristina com Duque de Caxias, bairro São José) para demonstrar toda insatisfação com o governo. Antes, o Sindicato dos Peritos Oficiais de Sergipe (Sinpose) havia protocolado três pedidos de reunião, mas sem respostas. O presidente do sindicato, Carlos Eduardo, está confiante numa boa negociação em benéfico da categoria.


Maldade

Em época de campanha eleitoral, as notícias espalhadas em redes sociais precisam ser analisadas com muita cautela. Ontem, no final da tarde, espalhou-se a informação de que "em primeiríssima mão o jornalista Carlos Ferreira" dizia "que o governo do estado de Sergipe ordenou o pagamento do licenciamento 2017 em data única, ou seja, independentemente do final da placa do seu veículo, todos serão pagos em data única no mês de janeiro". Uma maldade sem tamanho, que certamente não deve ter partido do competente Carlos Ferreira.


Resposta

De pronto, a assessoria de Jackson Barreto rebateu a informação inverídica. Disse, através dos mesmos meios, que "não é verídica a informação divulgada de que todas as placas de veículos independente do número final serão pagas em data única em janeiro de 2017". "O calendário de pagamentos do IPVA 2017 está sendo elaborado pela Secretaria de Estado da Fazenda e será divulgado em dezembro como é feito todos os anos", garantiu a nota.


Assembleia

Do pacote de projetos de lei que está nas mãos dos deputados estaduais para discutir e votar nos próximos dias, pelo menos dois irão levantar inúmeras polêmicas. O que trata do subsídio salarial e progressão da carreira dos policiais militares e o que se refere ao Orçamento do Estado para 2017. Nos bastidores, deputados de situação e oposição já travam longos diálogos em busca de equações. Não há data prevista para as votações.


Debate na CUT

A famigerada PEC 241 será tema de debate hoje, dia 22, às 8h30, no auditório da Central Única dos Trabalhadores em Sergipe (CUT-SE). Os sindicalistas debaterão também sobre a reforma previdenciária. Entre os pontos a serem discutidos, estão a situação das previdências privada e pública, a luta de classes e as consequências da PEC 241 para o trabalhador.


Dinheiro para Estância

O deputado estadual Gilson Andrade, eleito prefeito de Estância, está comemorando muito a conquista de recursos para investimentos em pavimentação e drenagem a partir do próximo ano. Ontem ele postou nas redes sociais sua satisfação com o deputado federal Laércio Oliveira, que indicou sua emenda individual de bancada no valor de R$ 50 milhões para obras no município de Estância. Os recursos serão do Ministério das Cidades e essa destinação foi aprovada por unanimidade por todos os parlamentares da bancada de Sergipe. "Com estes recursos serão atendidas as necessidades mais urgentes no segmento de infraestrutura e desenvolvimento urbano do município", afirmou Gilson Andrade.


Laércio

Laércio Oliveira explicou ontem que além das emendas de bancada, os parlamentares têm direito a R$ 15 milhões em emendas individuais para destinar para diversos municípios. "Durante toda a semana recebi prefeitos de todo o estado para ouvir as principais demandas dos seus municípios das áreas de infraestrutura, saúde, educação. Estamos analisando todas as solicitações para indicarmos as emendas e lutarmos para liberar os recursos", disse Laércio.


Laércio II

"Estou trabalhando para levar o máximo de recursos possíveis para os municípios sergipanos. Nos casos das obras de pavimentação e drenagem são importantes porque muitas ruas não têm calçamento nem esgotamento. Além do conforto das pessoas, é uma questão de saúde porque quando chove as crianças e adultos andam pela lama", garantiu.