Morre Carlos Alberto Torres, o "capita" do Tri...

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/10/2016 às 09:19:00

Velório acontece na sede da CBF. A entidade declarou luto oficial de três dias, com as bandeiras da sede a meio mastro

 

A CBF informou no início da tarde desta terça-feira 25, que o velório de Carlos Alberto Torres será realizado em sua sede, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O capitão do tricampeonato mundial da Seleção Brasileira morreu nesta terça,25, após sofrer um enfarte fulminante.

Como homenagem ao ídolo, a CBF declarou luto oficial de três dias, com as bandeiras da sede a meio mastro. Além disso, a entidade definiu que todas as partidas das competições que organiza, serão precedidas por um minuto de silêncio nos próximos dias.

"Aos 72 anos, Carlos Alberto Torres deixa um enorme legado de conquistas e colaboração intensa para o desenvolvimento do nosso futebol. Obrigado, Capita. Sua história estará para sempre entre nós", registrou a CBF, em seu site.

Torres é considerado um dos maiores laterais-direitos da história - para muitos, o melhor deles. O capitão do tri atuou profissionalmente por quase duas décadas e chegou a ser campeão com o Flamengo, Botafogo e Fluminense como treinador. Desde 2005, entretanto, estava afastado dos gramados como técnico e trabalhava apenas como comentarista do canal Sportv.

Nascido a 17 de julho de 1944, carioca do bairro da Vila da Penha, Carlos Alberto, seja como lateral-direito, onde começou na base do Fluminense, seja como zagueiro, sempre desfilou pelos gramados uma classe com a bola nos pés em que não ficava para trás nem para um astro do nível de Franz Beckenbauer. Santos, Botafogo, Flamengo e New York Cosmos tiveram em campo a sua classe. Era reverenciado no mundo todo pelo seu passado. Depois, como treinador, o Capita, como era carinhosamente chamado, teve como pontos altos a conquista do Campeonato Brasileiro de 1983, pelo Flamengo, da Copa Conmebol, em 1993, pelo Botafogo, e do Campeonato Carioca de 1984, pelo Fluminense.