Bandidos rendem gerente e assaltam banco em Pacatuba

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/10/2016 às 09:26:00

Gabriel Damásio

 

A polícia foi mobilizada na manhã de ontem para tentar prender o grupo que, na manhã de ontem, assaltou a agência do Banco do Brasil em Pacatuba (Baixo São Francisco). O crime aconteceu depois que dois bandidos conseguiram render o gerente da agência e obrigá-lo a dar acesso ao interior do banco. Os criminosos fugiram levando uma quantia em dinheiro cujo valor não foi revelado. Suspeita-se que pelo menos quatro homens participaram do crime, que é investigado pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope).

Segundo informações do capitão Alysson Cruz, porta-voz adjunto da Polícia Militar, o gerente começou a ser seguido assim que saiu de casa para o trabalho, por volta das 7h30. “Ele percebeu um acidente no percurso e achou estranho. Identificou que aquele não era um acidente normal, mas sim uma simulação para tentar pará-lo. O funcionário não parou e seguiu o percurso até à agência bancária. Para surpresa dele, na porta da agência, dois elementos já o abordaram com armas e o conduziram para dentro da agência”, relatou o capitão, confirmando ainda que os bandidos deixaram o gerente no banco e fugiram com o carro dele, levando o dinheiro.

O destacamento da PM em Pacatuba foi avisado do assalto e pediu reforços nas buscas pelos bandidos, com equipes do 2º Batalhão (2º BPM) e um helicóptero do Grupamento Tático-Aéreo (GTA), que sobrevoou toda a região. No meio da manhã, o carro da vítima foi encontrado abandonado em uma área deserta da zona rural. Apurou-se que os marginais trocaram o carro do bancário por um Peugeot de cor prata, no qual fugiram. Até a noite de ontem, eles não foram encontrados.

A polícia suspeita que os ladrões tenham planejado o crime com muita antecedência, realizando inclusive um acompanhamento da rotina do gerentee o aproveitamento de fatores como a hora anterior à abertura do banco, quando não há movimentação nas agências. “Geralmente, eles fazem monitoramento de empresários, gerentes de banco, comerciantes e outras pessoas que transportam ou lidam com grandes volumes de dinheiro. É importante que essas pessoas tomem certos cuidados. Evitem fazer o mesmo trajeto, alternem locais ou horários, entrem contato com uma pessoa e peçam para que ela lhe acompanhe durante o transporte dos valores... tudo isso para evitar que ela fique vulnerável à ação dos marginais”, orienta Alysson.