General Electric anuncia contrato para construção da Termoelétrica Porto de Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/10/2016 às 10:11:00

Matéria do Valor Econômico, publicada ontem, 27, noticia que a multinacional americana General Electric (GE) fechou um contrato de US$ 900 milhões (equivalente a R$ 2,8 bilhões, considerando o câmbio de ontem) para o projeto da Usina Termoelétrica (UTE) Porto de Sergipe, que será a maior usina a gás natural da América Latina.

Para o Valor Econômico, a informação foi dada pelo presidente da GE para a América Latina, Rafael Santana, em entrevista exclusiva. De acordo com a publicação, o anúncio deve ser feito hoje ao mercado.

“O negócio envolve todos os equipamentos necessários para a construção da usina, desde as turbinas até as máquinas envolvidas nas obras civis, passando pelos sistemas de integração e monitoramento digitais. A empresa ainda fará a montagem e instalação dos equipamentos”, publicou O Valor.

O investimento em Sergipe também foi matéria na edição americana do site da maior agência internacional de notícias, Reuters, a qual ressalta que o contrato possibilitará a construção da central energética de gás natural, que produzirá 1.500 megawatts de energia.

De acordo com a Reuters, o contrato com a Centrais Elétricas de Sergipe SA - Celse (composta pela Golar e a empresa brasileira eBrasil Energia Ltda) marca a primeira venda de geradores de energia da GE junto com a tecnologia de recuperação de calor do gerador de vapor e sistema de transmissão que adquiriu da Alstom no ano passado.

“A planta irá incluir três turbinas H-Class da GE, com eficiência de mais de 62%. Ele irá utilizar gás natural liquefeito (GNL) fornecido pela Exxon Mobil Corp (XOM.N) e entregues através da instalação de uma unidade flutuante de armazenamento e regaseificação, que será construída como parte do projeto”, informou a Reuters.

Para o assessor especial do governo para Políticas de Desenvolvimento, Oliveira Júnior, o anúncio do contrato é um importante passo na primeira etapa de construção da usina. “Significa que as providências para a concretização do Porto de Sergipe estão em passos largos. O impacto gerado pelo montante, o volume do investimento e a tradição da empresa contratada para viabilizar a usina demonstram a grandiosidade desse projeto. A GE é líder mundial de energia e será responsável por todo projeto, turnkey, isso envolve o fornecimento dos componentes de geração elétrica, mas também montagem, instalação e tecnologia até que esteja pronta para operar. O fato desse projeto serexecutado por uma empresa líder mundial comprova a relevância do investimento”, reforçou.

 

Porto de Sergipe - Em setembro deste ano, o governador Jackson Barreto, o presidente da GG Power - joint venture formada pela britânica LNG Power Limited, uma subsidiária da Golar LNG Limited e a GenPower Participações S.A. -, Marcos Grecco e demais investidores lançaram, por meio da Celse, a pedra fundamental da Usina Termoelétrica (UTE) Porto de Sergipe , primeiro projeto, entre os demais previstos para o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda.  Esse é o maior investimento privado já realizado em Sergipe, orçado em R$ 5 bilhões. A previsão é que as obras durem 36 meses, gerando 1.700 empregos diretos e indiretos neste período, para estar em plena operação em janeiro de 2020.

A Porto de Sergipe terá capacidade para produzir 1,5 mil megawatts (MW) de energia, com taxa de eficiência de 62,22%. Quando em funcionamento, e energia gerada pela usina deverá ser suficiente para atender 15% da demanda do Nordeste, segundo informação da GE para o Valor.

Já o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda, que prevê a implantação de mais duas usinas de geração termoelétrica: UTE Marcelo Déda e UTE Laranjeiras, poderá gerar até 3 mil megawatts de energia.

As UTEs Marcelo Déda e Laranjeiras serão ofertadas nos próximos leilões de energia realizados pela Agência Nacional de energia Elétrica (Aneel) e pela estatal Empresa Brasileira de Pesquisa Energética (EPE). O complexo já possui licença prévia, expedida pela Adema, para instalação.