PMA informa pagamento, mas servidores da saúde dizem não ter recebido salário.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/10/2016 às 09:17:00

Milton Alves Júnior

Na manhã de ontem a Prefeitura de Aracaju informou que o salário dos servidores da saúde, referente ao mês de setembro, estava depositado na conta deles. O comunicado foi feito pelo secretário municipal da Fazenda, Jair Araújo de Oliveira, ao Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE), com destino ao conselheiro Ulisses Andrade. A administração municipal também se comprometeu a quitar os salários de todos os servidores municipais referentes aos meses de outubro, novembro e dezembro, além do décimo terceiro salário.

O problema, mais uma vez, é que a classe trabalhadora já no início da tarde informou que nem todos os servidores receberam o depósito salarial quando foram conferir a conta bancária. Em acordo firmado com a Corte de Contas, a prefeitura havia se comprometido a repassar o salário atrasado até a próxima segunda-feira, 31; a expectativa dos funcionários é que o salário seja depositado ainda neste final de semana, caso contrário as categorias pretendem acionar novamente o TCE.

Diante do conflito de informações e inexistência do salário disponível, o Sindicato dos Servidores da Saúde (Sintasa) informou ao Jornal do Dia que a greve, que se estende desde o dia 01 deste mês, deve permanecer por tempo indeterminado caso algum servidor deixe de ser beneficiado com os respectivos direitos. Em contraponto, após as queixas sindicais, a Secretaria Municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog) garantiu que o dinheiro seria depositado até as 23h59 de ontem.

O presidente Augusto Couto pede que o TCE continue investigando os sucessivos atrasos de direitos."Confiamos na ação do Tribunal de Contas e estamos atentos também para passar informações para o conselheiro Ulisses Andrade que é responsável por analisar as contas da prefeitura. A greve vai continuar se parte dos trabalhadores perceberem que os direitos constitucionais ainda não foram cumpridos. Vamos aguardar a conclusão desses repasses e já ficar atento para o pagamento referente a outubro já que o último dia útil desse mês será segunda-feira agora", disse.

A greve unificada conta com 11 categorias e mais de 1.800 profissionais de braços cruzados. Com a paralisação de até 70% dos serviços, cerca de quatro mil pacientes deixam de ser atendidos diariamente.