Superlotação do Huse aumenta

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/11/2016 às 00:22:00

 

A piora da superlotação do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), unidade referência em média e alta complexidade, está preocupando a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). Nas últimas semanas, o hospital ampara os usuários do SUS que não encontram atendimento nos 44 Postos de Saúde de Aracaju, nem nas Unidades de Pronto Atendimento Zona Norte e Zona Sul que estão fechadas.
"Diante do caos instalado na Rede Municipal de Aracaju, a SES e a FHS pedem a compreensão dos sergipanos e orientam, principalmente àqueles residentes no interior e que precisam de serviços básicos ou de urgência, que busquem o Hospital Local de suas cidades para o primeiro atendimento", diz a nota emitida pelo Estado.
Caso o município não tenha Hospital Local ou o estabelecimento de saúde não esteja funcionando, a SES e a FHS solicitam que procurem um Hospital Regional de referência. Sergipe possui seis Hospitais Regionais da Rede Estadual de Urgência e Emergência, estrategicamente localizados e em pleno funcionamento: Nossa Senhora do Socorro, Nossa Senhora da Glória, Propriá, Estância, Lagarto e Itabaiana.
"A situação lamentável da Saúde Municipal reflete negativamente no Huse causando a superlotação, excedendo a capacidade de resposta, gerando estresse na equipe multidisciplinar, transtornos estruturais e comprometendo todo planejamento de abastecimento de materiais, insumos e medicamentos", continua a nota.
"A SES e a FHS contam com o apoio dos órgãos de controle (Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal) para que medidas emergenciais e de responsabilidade jurídica sejam tomadas". No mês de outubro, o Huse realizou 13.509 atendimentos totais, sendo que 11.666 foram classificados como de baixa complexidade (5.594 foram usuários de Aracaju).

A piora da superlotação do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), unidade referência em média e alta complexidade, está preocupando a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). Nas últimas semanas, o hospital ampara os usuários do SUS que não encontram atendimento nos 44 Postos de Saúde de Aracaju, nem nas Unidades de Pronto Atendimento Zona Norte e Zona Sul que estão fechadas.

"Diante do caos instalado na Rede Municipal de Aracaju, a SES e a FHS pedem a compreensão dos sergipanos e orientam, principalmente àqueles residentes no interior e que precisam de serviços básicos ou de urgência, que busquem o Hospital Local de suas cidades para o primeiro atendimento", diz a nota emitida pelo Estado.

Caso o município não tenha Hospital Local ou o estabelecimento de saúde não esteja funcionando, a SES e a FHS solicitam que procurem um Hospital Regional de referência. Sergipe possui seis Hospitais Regionais da Rede Estadual de Urgência e Emergência, estrategicamente localizados e em pleno funcionamento: Nossa Senhora do Socorro, Nossa Senhora da Glória, Propriá, Estância, Lagarto e Itabaiana.

"A situação lamentável da Saúde Municipal reflete negativamente no Huse causando a superlotação, excedendo a capacidade de resposta, gerando estresse na equipe multidisciplinar, transtornos estruturais e comprometendo todo planejamento de abastecimento de materiais, insumos e medicamentos", continua a nota.

"A SES e a FHS contam com o apoio dos órgãos de controle (Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal) para que medidas emergenciais e de responsabilidade jurídica sejam tomadas". No mês de outubro, o Huse realizou 13.509 atendimentos totais, sendo que 11.666 foram classificados como de baixa complexidade (5.594 foram usuários de Aracaju).