Mais de 7 mil alunos de Sergipe farão Enem em dezembro.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/11/2016 às 00:11:00

Subiu para 7.002 o número de candidatos sergipanos que foram obrigados a responder as questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos próximos dias 03 e 04 de dezembro. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), até à tarde da última sexta-feira, 04, o número era de 980 estudantes prejudicados com a ocupação de manifestantes nas dependências da Universidade Federal de Sergipe (UFS) – Didática VI. O comunicado foi realizado por meio de mensagens SMS e e-mails.
O movimento unificado realizado em todo o Brasil tem sido organizado, na grande maioria, por universitários que se mostram contrários ao Projeto de Emenda Constitucional - PEC 241/2016 que pretende congelar os investimentos federais nos serviços sociais até o ano de 2036. Essa postura crítica acabou prejudicando milhares de jovens estudantes que estavam previstos para enfrentar o Enem em uma das instituições ocupadas pelo movimento. Diante da ocupação, o Ministério da Educação acredita que os atos tenham gerado aos cofres públicos um prejuízo de 15 milhões de reais.
Ainda segundo o MEC, o Governo Federal deve entrar com um processo judicial contra os grupos que coordenam o movimento ocupacional. Essa medida tem como propósito exigir que os responsáveis pelo prejuízo causado aos cofres da União sejam devidamente responsabilizados. Apesar da pressão atribuída pelos governantes, o movimento tem se intensificado. No final da manhã de ontem alunos do colégio estadual Dom Luciano decidiram ocupar o prédio e suspender as aulas por tempo indeterminado. Eles também questionam o teor da PEC que segue em apreciação no Senado Nacional.
"Estamos lutando hoje pelo futuro do nosso país. Sei que muitos estão revoltados com o movimento e nos criticam, mas é preciso promover atos dessa natureza para que esses governantes que tanto nos envergonham sintam o tamanho da revolta em que o povo brasileiro se encontra. Tirar dinheiro da saúde e educação é um resto para quem aparece na televisão com um discurso de 'ponte para o futuro'. Vamos resistir até essa PEC cair. Senadores sergipanos, esperamos que os senhores votem contra esse projeto retrógrado", afirmou a estudante Fabiana Gomes, de 19 anos.
Problemas administrativos à parte, os mais de 90 mil candidatos que compareceram aos locais de prova e preencheram as questões aguardam agora a divulgação do gabarito que será apresentado oficialmente amanhã. Este ano, conforme números do Inep, o estado de Sergipe registrou uma abstenção de 27%; isso significa um aumento de 4% se comparado ao mesmo exame realizado no ano passado. No Brasil o índice de não comparecimento foi ainda maior: 30%; aumento de 3% em relação a 2015. Os motivos mais comuns foram: atraso, sem documentação exigida e por estar portando caneta de cor azul (a tinta preta era obrigatória).

Resultado - Apesar dos contratempos enfrentados neste ano, a direção do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais garantiu que o resultado final do Enem será apresentado no dia 19 de janeiro conforme estava previsto no edital do maior concurso estudantil do país. Os gestores federais acreditam que, mesmo apresentando um déficit superior a 191 mil provas não preenchidas devido às ocupações, o ritmo de correção não será prejudicado.
Já nos dias 13 e 14 de dezembro, o Inep realizará o Enem para 54.347 pessoas que seguem privadas de liberdade ou internos que estão cumprindo medidas socioeducativas. Em Sergipe existem candidatos internados em presídios, no Centro de Atendimento do Menor (Cenam) e na Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip). Este ano o índice de candidatos inscritos - os quais seguem em conflito com a legislação, subiu 19% se comparado ao ano passado