Consumo de gás natural cresceu 2,2% em Sergipe.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/11/2016 às 00:34:00

Foram consumidos, no mês de agosto deste ano, uma média de 288,9 mil metros cúbicos (m³) de gás diário em Sergipe. O consumo de gás foi 2,2% superior ao do mês anterior. Na comparação anual, em relação ao mesmo mês do ano passado (agosto/2015), o consumo apresentou crescimento de 1,4%.

A análise foi realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás).

O consumo médio das indústrias sergipanas foi de 188,6 mil m³/dia, maior 1,3%, na comparação mensal (julho/2016), porém ficou 0,8% abaixo do registrado no mesmo mês do ano passado (agosto/2015). O presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, defende a importância da indústria de gás natural para a economia, e afirma “Estamos empenhados em mostrar que a indústria do gás natural é um dos setores que podem colaborar para a atração de investimentos em infraestrutura no País e para a retomada da economia, o que com certeza estará refletido nas diretrizes do Governo Federal para o setor”.

Consumo de gás por segmento - Analisando por segmento, o consumo nas indústrias continua tendo a maior participação (65,3%), sendo seguido pelo consumo automotivo (postos), com 31%. Em conjunto, estes segmentos responderam por mais de 96% do total de gás consumido em Sergipe.

O consumo do segmento veicular somou 89,6 mil m³/dia, apresentando retração de 3,1% em relação ao mês anterior. Na comparação anual, o consumo foi 7,3% maior. O consumo de gás natural para cogeração ficou em 2,1 mil m³/dia, o que representou uma expansão, na comparação mensal de 5%, já na comparação anual (agosto/2015), houve crescimento de 59,3%.

Nas residências e no comércio, o volume consumido foi de 5,2 e 3,4 mil m³/dia, respectivamente. Para as residências, o consumo apresentou expansão, ficando 15,6% maior e para o comércio houve acréscimo de 9,7%, ambas em relação ao mês anterior. Em relação ao mesmo mês do ano passado (agosto/2015), o consumo residencial cresceu 24,1% e o consumo comercial cresceu 7,3%.