Foragido do RS é preso ao tentar aplicar golpe milionário em Propriá

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/11/2016 às 00:11:00

O gaúcho Lucas Menezes da Trindade, 22 anos, foi preso na noite desta quarta-feira por policiais civis da Delegacia Regional de Propriá (Baixo São Francisco). Ele é acusado de tentar aplicar um golpe envolvendo a compra de R$ 3,8 milhões em terrenos na região e já tinha um mandado de prisão preventiva expedido pelo juízo da 1ª Vara Federal de Santa Cruz do Sul (RS), onde respondeu a processos por estelionato.

De acordo com informações do delegado regional João Eduardo Dantas, um corretor de imóveis de Propriá foi procurado por Lucas, o qual se apresentou como empresário e investidor. O relato é de que o acusado estaria sondando imóveis na região com o intuito de realizar investimentos, afirmando possuir mais de R$ 9 milhões em conta corrente para tal fim. Ao final do dia, após visitarem alguns imóveis, assinaram contratos de compra e venda de dois terrenos, sendo uma fazenda no município de Canhoba, no valor de R$ 3 milhões, e lotes em Japoatã, no valor de R$ 800 mil, deixando para finalizarem a transação na manhã do dia seguinte.

O delegado explica ainda que, diante da divergência de algumas informações, durante à noite, o corretor se dirigiu à Delegacia Regional e em conversa com os delegados, foram realizadas consultas acerca da situação do suposto comprador. Apurou-se que ele responde a crimes de estelionato, porte ilegal de arma de fogo e denunciação caluniosa, existindo um mandado de prisão em seu desfavor expedido pela Justiça Federal do Rio Grande do Sul.

Ao constatar estas informações, a equipe da delegacia foi ao local onde Lucas estava hospedado e prendeu-o, encontrando vários cheques sem fundos e extratos de conta-corrente, confirmando-se que Lucas vinha praticando golpes em vários lugares do Brasil. O acusado foi autuado na Regional de Propriá e responderá a um inquérito sobre o golpe, mas poderá ser recambiado para Santa Cruz do Sul, a depender de um parecer da Justiça Federal gaúcha.