Huse: estrutura física do bunker será entregue em dezembro.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/11/2016 às 00:41:00

A construção do bunker que abrigará o segundo acelerador linear do Centro de Oncologia do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) é acompanhada diariamente pelas equipes gestoras da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e da Fundação Hospitalar (FHS), bem como por representantes do Ministério da Saúde (MS), órgão responsável pela obra e aquisição do equipamento.

Segundo Jorge Teles, engenheiro da empresa NHA (contratada pelo Ministério para gerenciamento e fiscalização da obra), a entrega da obra está marcada para o início do mês de dezembro.

“A imponência do bunker é notória. Desde dezembro, quando os trabalhos iniciaram, foi possível fazer adequações no projeto para que a construção obedecesse ao cronograma. E tudo está dando certo. Já foi implantada a forma e a armação da laje superior da área técnica, a escavação na área externa para interligar o sistema de aterramento e a construção de caixas de passagem”, explicou.

A construção do bunker é muito complexa e de grande magnitude. Para se ter uma ideia, a espessura das paredes é de 1,25 m a 2,10 m, oferecendo toda proteção radiológica exigida para garantir segurança aos pacientes e profissionais que futuramente estarão atuando no serviço.

Para o engenheiro Vilmar Azevedo, da empresa Contenge, responsável pela obra, toda execução é feita de forma harmoniosa e minuciosa, dentro de um cronograma. “O bunker possui blocos elétricos independentes, que não comprometem os demais departamentos do hospital. O avanço físico está muito além do já programado”, comemora.

Para a secretária de Estado da Saúde, Conceição Mendonça, acompanhar de perto toda a evolução do bunker é uma conquista para a assistência oncológica de Sergipe. “A instalação deste segundo equipamento, através do Plano Nacional de Expansão da Radioterapia, agregará bastante no tratamento de muitos sergipanos. Agora, aguardamos o posicionamento do Ministério da Saúde sobre a chegada do equipamento para iniciarmos montagem e testes. Por se tratar de uma tecnologia avançada, os testes radiológicos serão intensos para que tudo esteja em perfeitas condições de iniciar a operacionalização”, comenta a gestora.

O atual aparelho de radioterapia do Huse já tem 17 anos e trabalha incansavelmente para atender a uma demanda que é crescente. Atualmente, em Sergipe existem duas máquinas de radioterapia para suprir a demanda dos pacientes oncológicos locais e até de outros Estados: a 3D no Huse e a 2D no Hospital de Cirurgia. A construção desse novo Bunker permitirá a unidade ampliar e fortalecer o atendimento para toda população que depende de tratamento pelo SUS no Estado de Sergipe.

“Será o fortalecimento da atenção oncológica em nosso Estado. O Huse passará a operacionalizar o serviço com duas máquinas. É um grande avanço. Continuaremos acompanhando todo o trabalho”, garante Conceição Mendonça.