Sergipe tem 19 municípios em situação de emergência por causa da seca

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/11/2016 às 00:48:00

A seca registrada no sertão sergipano continua causando prejuízos para milhares de produtores rurais. De acordo com a Defesa Civil Estadual, subiu para 19 o número de municípios que decretaram estado de emergência. Sem chuva, a ausência de cisternas também contribui para abranger os efeitos da estiagem. O baixo número de caminhões pipas destinados para os municípios em situação crítica não é suficiente para atender a todas as famílias. Em meio às perdas já contabilizadas este ano em Sergipe, é possível citar a safra de feijão que esperava produzir uma média de 11 mil toneladas; três a mais se comparado a 2015.

Dano em escala ainda maior tem sido vivenciado por produtores de milho. Um conjunto de fatores climáticos rendeu aos sergipanos uma perda de 80% da safra. Com a seca, Sergipe registra ainda 40% de queda na produção de leite e problemas no cultivo de soja. Criadores de gado e demais animais típicos da região também sentem a dificuldade. Até agora os 19 municípios em situação de emergência são: Canindé do São Francisco, Porto da Folha, Poço Redondo, Poço Verde, Nossa Senhora da Glória, Frei Paulo, Gararu, Nossa Senhora Aparecida, Carira, Cedro de São João, Ribeirópolis, Pinhão, Macambira, Propriá, Telha, Gracho Cardoso, Itabi, São Domingos e Capela.

A perspectiva é que outros sejam incluídos nesta lista até o final do ano caso o clima não se direcione a favor dos sertanejos. De acordo com o coronel Gilfran Mateus, da Defesa Civil, a falta de chuva atingiu o estado de forma antecipada e na tentativa de minimizar os efeitos negativos, o Governo de Sergipe juntamente com o Governo Federal estão trabalhando para ampliar o número de caminhões pipas que levam água potável para os sertanejos. A preocupação também se direciona para os açudes que servem como depósito de água destinada para o consumo animal, lavar roupas, bem como para a irrigação das lavouras.

"Além do apoio importantíssimo do exército, outros programas do Governo Federal como o Água Doce e a criação de poços artesianos têm colaborado na luta pela assistência às famílias que residem nas áreas mais críticas onde o sinal de emergência já foi acionado. Infelizmente o número de cidades nessas condições tem subido; enquanto o tempo permanece seco nós estamos trabalhando diariamente para atender aos sergipanos", disse. Para os próximos 20 dias a previsão do tempo aponta temperatura alta, comum no verão nordestino. Chuvas podem ser registradas no sertão sergipano, mas de forma escassa e passageira.

-