Saúde realiza reunião para a prevenção e combate ao Aedes aegypti

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/11/2016 às 00:57:00

Componentes da Sala Estadual de Situação, da Secretária de Estado da Saúde (SES), se reuniram ontem para tratar da prevenção e combate ao Aedes aegypti. Estiveram presentes representantes da Vigilância Epidemiológica Estadual, do Núcleo de Endemias, da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), Secretaria de Estado da Inclusão Social e apoiadores do Ministério da Saúde.

Essa sala foi criada com o intuito de fortalecer a intersetorialidade, envolvendo todos os atores no combate ao mosquito Aedes aegypti, devido à emergência em Saúde Pública com a associação do Zika vírus aos casos de Microcefalia em todo território nacional.

A coordenadora da Sala Estadual de Situação, Tereza Cristina Maynard, relata que essas reuniões acontecem quinzenalmente com vídeoconferência com a Sala Nacional de Situação, ligada ao Ministério da Saúde, além das reuniões também com os membros da Sala Estadual, para discutir diretrizes a serem tomadas no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya.

“Discutimos a mobilização nacional que acontecerá em dezembro debatendo diretrizes para o fortalecimento de medidas de prevenção e eliminação dos focos do mosquito em nosso Estado”, relata a coordenadora.

A gerente de Endemias da SES, Sidney Sá, acrescenta que nessa reunião também foram discutidas as diretrizes para o fortalecimento da eliminação de focos não só nas Unidades de Saúde mas, também, em demais locais de trabalho e espaços públicos.

“Isso envolvendo todos os setores e não só o setor da saúde, estimulando os Correios, bancos, trabalhadores do SUS e toda a população em um engajamento ativo no combate ao mosquito Aedes aegypti”, esclarece.

Informe Epidemiológico- A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Núcleo Estratégico (Nest), divulgou o novo Informe Epidemiológico nº 50, com dados analisados entre os dias 06 a 11 de novembro. Nesse período, não houve alteração em relação ao boletim anterior sobre o número de casos notificados de Microcefalia.

Desde a implantação da notificação compulsória dos casos de Microcefalia foram notificados 269 casos no Estado de Sergipe, com 13 óbitos (destes, seis 06 confirmados, 1 descartado e 6 em investigação).

Os casos notificados estão distribuídos em 56 municípios sergipanos, sendo que 57 casos se encontram em processo de investigação, 128 foram confirmados e 84 descartados.

A região de Aracaju aparece com maior número de casos 98 notificações, seguida pelas regiões de Nossa Senhora do Socorro com 43 casos, Estância com 37 e Itabaiana com 28 casos registrados.

Em 2016, até o presente momento, foram notificados 7.914 casos prováveis distribuídos em 71 municípios, onde foram confirmados 5.797 casos de Febre do Chikungunyaem Sergipe.

Já em relação à Dengue foram registrados 3.315 casos prováveis em 70 municípios. Desses casos, foram confirmados 1.763.

Ainda de acordo com o ultimo Informe Epidemiológico, 05 municípios lideram com as maiores taxas de incidências de Dengue são eles: Pedra Mole (com 2.750,86), seguido por Nossa Senhora de Lourdes (com 2.479,21), Itabaianinha (1.210,03),Tobias Barreto (942,09) e, por último, Umbaúba (com 497,05).

Em relação à situação epidemiológica dos casos de Zika no Estado de Sergipe, no ano de 2016, de acordo com o último informe epidemiológico, registrou-se 315 casos prováveis com 29 confirmados.