Ibama multa Petrobras em R$ 2,5 milhões por derramamento de óleo no litoral de Sergipe.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 20/11/2016 às 00:42:00

 

O Ibama multou a
Petrobras em R$ 2,5
milhões na última terça-
feira (08/11) pelo
derramamento de 1,8
mil litros de óleo bruto
no litoral sul de Sergipe
em 21 de outubro
deste ano. A mancha
atingiu as praias de
Caueira, no município
de Itaporanga
D'Ajuda , Abaís e Saco,
em Estância, se espalhando
por uma área
de aproximadamente
30 km entre 21 e 24 de
outubro.
Cerca de 100 tartarugas
depositaram ovos
na área atingida pelo
derramamento neste
período. De acordo
com o Projeto Tamar,
nenhum dos filhotes
foi impactado. Vistoria
realizada em campo
pelo Ibama também
não identificou impacto
a outras espécies da
fauna local.
Este foi o terceiro derramamento
de óleo registrado
no Sergipe
nos últimos 18 meses.
Em agosto deste ano,
o Ibama já havia multado
a empresa em R$
12,5 milhões por descarte
irregular de efluentes
com teor de
óleo acima do permitido.
O impacto ambiental
foi verificado por
uma extensão de 4 km
entre as praia de Atalaia
e o Banho Doce.
Em abril de 2015, o vazamento
de um duto
que interliga as plataformas
de produção
PCM-5 e PCM-6, no campo
de Camorim, na Bacia
de Sergipe-Alagoas,
despejou 7 mil litros
de óleo no mar, o que
levou o Ibama a multar
a Petrobras em R$
2,5 milhões. Na ocasião,
foram atingidas
as praias Abaís e Saco,
no litoral sergipano, e
Mangue Seco e Costa
Azul, na Bahia.

O Ibama multou a Petrobras em R$ 2,5milhões na última terça-feira (08/11) pelo derramamento de 1,8mil litros de óleo bruto no litoral sul de Sergipe em 21 de outubro deste ano. A mancha atingiu as praias de Caueira, no municípiode Itaporanga D'Ajuda , Abaís e Saco,em Estância, se espalhando por uma área de aproximadamente 30 km entre 21 e 24 de outubro. Cerca de 100 tartarugas depositaram ovos na área atingida pelo derramamento neste período. De acordo com o Projeto Tamar,nenhum dos filhotes foi impactado. Vistoria realizada em campo pelo Ibama também não identificou impacto a outras espécies da fauna local. Este foi o terceiro derramamento de óleo registrado no Sergipe nos últimos 18 meses. Em agosto deste ano,o Ibama já havia multado a empresa em R$12,5 milhões por descarte irregular de efluentes com teor de óleo acima do permitido.O impacto ambiental foi verificado por uma extensão de 4 km entre as praia de Atalaia e o Banho Doce. Em abril de 2015, o vazamento de um duto que interliga as plataformas de produção PCM-5 e PCM-6, no campo de Camorim, na Bacia de Sergipe-Alagoas,despejou 7 mil litrosde óleo no mar, o que levou o Ibama a multar a Petrobras em R$2,5 milhões. Na ocasião,foram atingidas as praias Abaís e Saco,no litoral sergipano, e Mangue Seco e Costa Azul, na Bahia.