Alese faz homenagem ao ator Severo D'Acelino

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/11/2016 às 00:47:00

O movimento negro no Estado de Sergipe foi destaque no plenário da Assembleia Legislativa, com a entrega da Comenda Senador Abdias Nascimento ao poeta, dramaturgo, ator, compositor, contista, pesquisador conferencista, coreógrafo e coordenador Geral da Casa de Cultura Afro Sergipana, Severo D’Acelino. A propositura é da deputada Ana Lúcia Vieira (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alese.

“A Comenda Senador Abdias tem muito a ver com a vida de Severo. Ele também foi um grande militante da causa, além de um grande intelectual que trabalhou o teatro e cultura para fazer exatamente a interlocução com toda a sociedade brasileira, mostrando a importância de toda a cultura afro-descendente para o enfrentamento de uma questão tão séria no nosso país que é o preconceito racial”, ressalta a deputada Ana Lúcia.

A deputada explicou que a outorga é uma honraria do Poder Legislativo Estadual. “O objetivo é homenagear pessoas que se dedicaram à luta contra o preconceito racial em Sergipe, como forma de prestar reconhecimento e incentivar a defesa dos direitos da população negra no Estado e a promoção da cultura afro-brasileira”, explica destacando que além de proeminente militante do movimento negro e ativista dos direitos civis, Severo é fundador do Movimento Negro contemporâneo de Sergipe, Bahia e Alagoas.

Na ocasião, Severo D’Acelino destacou se tratar de uma homenagem dupla com um significado muito positivo. “Isso nos dá muito mais responsabilidade do que tínhamos quando começamos e o processo da continuidade histórica. Abdias como pacificador, como legislador, como ator e, sobretudo, o ativista da América Latina. Ele está exatamente no patamar de todos os homens, da resistência negra do tipo Mandela, Luterking e a nível de América Latina, o Abdias é a expressão negra da resistência”, afirma.

“A honra é comensurável e eu estou aqui num processo suprapartidário como foi Abdias Nascimento. Ele não fez o movimento negro de partido e através do exemplo dele, o PT e outros partidos colocaram no seu conteúdo, o processo do movimento negro, que faz com que a gente tenha uma maior dinâmica de liberdade de expressão. A gente quer que nos próximos períodos a instituição brasileira esteja engajada na luta pela preservação da cultura negra no Brasil e pela valorização do negro na sociedade, sobretudo aqui em Sergipe, porque somos 86% do conjunto da população absoluta. Portanto, o negro tem que ter visibilidade e a gente agradece essa expressão e esse momento da Assembleia Legislativa de Sergipe e a coragem dessa mulher, a deputada Ana Lúcia”, completa.

Ainda no evento, a vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, destacou a luta por uma vida sem racismo. “Essa é uma das mais justas homenagens, pois estamos no mês da Consciência Negra e Severo como tantos outros, é responsável pelo movimento em prol da luta por uma vida sem racismo. Precisamos que todos os dias sejam da Consciência Negra, para que sejamos respeitados, independente da cor da pele. Severo D’Acelino é o verdadeiro herdeiro da luta dos nossos antepassados e continuamos lutando por uma condição de maior aceitação social. Nós não baixamos a nossa cabeça nunca, estamos sempre lutando de cabeça erguida pela valorização dos excluídos, independente da nossa cor de pele. Continue edificando e representando Aracaju, Sergipe, a Bahia e Brasil”, diz.

José Severo dos Santos é filho de Acelino Severo dos Santos e Odília Eliza da Conceição. Oriundo da etnia nagô dos canaviais de Riachuelo e Santa Rosa de Lima, da linha direta de “Mãe Elisa”, a maior Yalorixá de Sergipe. Sergipano de Aracaju, é casado com Maria José Porto dos Santos, com quem teve dois filhos: Obanshe Severo D’Acelino e Porto e Yanzamé Porto Severo Bainbridge. Avô de Maria Rita Porto Severo Bainbridge.