Presos três envolvidos com morte de cabo da PM

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/11/2016 às 00:29:00

A Polícia Civil anunciou ontem que conseguiu elucidar o assassinato do cabo da Polícia Militar Joelitondos Santos, baleado em 9 de fevereiro deste ano no bairro São Conrado (zona sul de Aracaju). O principal acusado, Emerson Henrique Costa Santos, o ‘Nego da Amendoeira’, foi preso pela manhã por agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ele já era investigado por outros homicídios e foi um dos 28 presos da ‘Operação Concórdia’, deflagrada em maio de 2015 pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) no bairro Santa Maria.

Outros dois envolvidos no crime, Marcelo Lisboa Rezende eWyllieltton Ray Santos, chegaram a ser presos em flagrante após o crime, mas foram soltos por decisão da Justiça e voltaram à cadeia no dia 11 de novembro, após as prisões preventivas serem decretadas. “Eles acabaram soltos, até por requerimento do Ministério Público, pois ele entendia que, naquele momento, não havia provas contra eles. Posteriormente, esse posicionamento foi revisto, o MP ofereceu denúncia contra eles e conseguiu a decretação dos mandados de prisão”, disse o delegado Antônio Sérgio Pinto, da 3ª Divisão do DHPP.

A morte do cabo aconteceu na Terça-Feira de Carnaval, em uma festa familiar no São Conrado, onde Joeliton acompanhava o show de um grupo de pagode. Já os três acusados estavam no mesmo local e também escutavam música alta, o que a polícia acredita ser o motivo do crime. “Os criminosos estavam com um ‘paredão de som’, próximo ao local, e o cabo estava na festividade com um mini-trio. Eles se sentiram incomodados e resolveram ir lá para acabar com a outra festa. Chegaram quatro indivíduos em um veículo Golf, com três ocupantes apontando armas para o alto e efetuando vários disparos. O cabo estava armado e reagiu atirando contra o Golf, chegando a atingir dois ocupantes levemente. Eles então revidaram e acertaram um tiro fatal no cabo”, relatou Sérgio. O inquérito do caso já foi concluído, mas a equipe do DHPP ainda trabalha para localizar e prender outros dois suspeitos de participação no ataque ao policial.

-