Protesto de caçambeiros prejudica recolhimento de lixo em Socorro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/12/2016 às 00:14:00

Com os salários atrasados desde o mês de agosto, caçambeiros que atuam diariamente na coleta de lixo em Nossa Senhora do Socorro decidiram bloquear a entrada principal da empresa Torre como forma de pressionar a administração do grupo. Conforme contabilidade apresentada pela direção do Sindicato dos Empregados da Limpeza Pública e Comercial de Sergipe (Sindelimp), 14 caçambas e mais de 40 profissionais suspenderam as atividades durante todo o dia de ontem; os manifestantes devem permanecer de braços cruzados caso os direitos trabalhistas não sejam devidamente quitados.

Sobre o problema financeiro a Prefeitura de Socorro, por meio da Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), informou que todas as pendências financeiras entre a administração pública e a empresa terceirizada já foram quitadas até o mês de outubro. Durante entrevista concedida na manhã de ontem o prefeito Fábio Henrique garantiu que a prefeitura tem buscado honrar com as respectivas obrigações e antes de deixar o cargo executivo no próximo dia 31 pretende quitar possíveis dívidas as quais possam se referir aos meses de novembro e dezembro.

Sem salários - Assim como ocorreu no último dia 21 de novembro, a categoria promete intensificar os atos públicos, permanecendo mobilizados e realizando vigília até que os direitos constitucionais sejam depositados em conta. Se o relacionamento entre servidor, prefeitura e a empresa já está estremecido, a perspectiva é que o cenário possa se agravar até o final deste ano. Segundo o Sindelimp, alguns profissionais estão desde o mês de abril sem receber os respectivos salários dentro de cada mês vigente. A situação foi denunciada junto ao Ministério Público do Trabalho; após oficializar o caso, a empresa pagou quatro meses em atraso, mas segue sem cumprir com os quatro meses restantes.