Novas lideranças

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/12/2016 às 00:07:00

Rita Oliveira

 

Novas lideranças

A filiação ao PP de Wagner Júnior, neto do empresário Luciano Barreto, se transformou num grande evento político às vésperas do Natal. Wagner é estudante universitário e vai disputar mandato de deputado federal nas eleições de 2018, atendendo velho sonho do avô. O ato ocorreu no final da tarde de ontem, no Quality Hotel.

A filiação mobilizou dirigentes nacionais do PP e autoridades sergipanas. De um lado estavam o governador Jackson Barreto (PMDB) e o prefeito eleito de Aracaju Edvaldo Nogueira (PCdoB). Do outro, o senador Eduardo Amorim (PSC) e o deputado estadual Venâncio Fonseca (PP).

A mobilização política em torno da filiação do jovem de 19 anos mostra a força que o empresário Luciano  Barreto tem na política sergipana, mesmo sem jamais ter exercido um cargo público. Ele sempre foi visto como um grande financiador de campanhas eleitorais, a exemplo do que ocorreu na campanha para a PMA em 2016. Ele foi um dos maiores contribuintes dos candidatos a prefeito.

A provável candidatura de Wagner Júnior cria problemas para pretensos candidatos em 2018. Desde já, a sua vitória nas urnas já é considerada certa, porque caberá ao avô a coordenação da campanha, e ele é considerado um dos hábeis negociadores político do Estado.

Será muito importante para Sergipe e o país que outros jovens também ingressem na vida pública e se preparem para disputar mandatos eletivos, mesmo sem lastro econômico e político. A renovação dos quadros políticos só é possível com a militância em partidos políticos. Sem novos filiados, as legendas partidárias não podem oferecer opções ao eleitorado.

Nesse momento de crise econômica, política e ética, em que muitos políticos estão sendo presos ou afastados dos mandatos por corrupção é fundamental para o país a renovação política, com lideranças jovens e sem os vícios atuando na vida pública.

O PP, liderado no estado pelo deputado estadual Venâncio Fonseca, está com essa proposta de renovação política. Além de Wagner Júnior, filou ontem ao partido o também jovem vereador Pedrinho Barreto. O PP ainda tem a expectativa de filiação do jovem empresário e suplente de senador, Ricardo Franco.

Trocando em miúdos, o PP de Sergipe está apostando todas as suas fichas na renovação dos seus quadros. Tá indo pelo caminho certo, pois as lideranças tradicionais do estado estão perto da aposentadoria...    

................................................................................................................

Todas as tribos 1

Foi muito prestigiada a filiação de Wagner Júnior ao PP. Várias lideranças políticas local e nacional foram prestigiar o ato político. Entre as lideranças nacionais o presidente nacional do partido, senador Ciro Nogueira (PI); o presidente da CEF, Gilberto Occhi, e o senador Benedito de Lira (PP/AL). Entre as lideranças locais o governador Jackson Barreto (PMDB), o ex-governador Albano Franco (PSDB), o senador Eduardo Amorim (PSC), o suplente de senador Ricardo Franco e o ex-deputado federal Cleonâncio Fonseca (PP).

 

Todas as tribos 2

Ainda presentes o vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB/Aracaju); os prefeitos Fábio Henrique (PDT/Socorro) e Valmir de Francisquinho (PSC/Itabaiana); os prefeitos eleitos Edvaldo Nogueira (PCdoB/Aracaju), Diógenes Almeida (PMDB/Tobias Barreto), Orlandinho Andrade (PSD/Canindé) e Gilson Andrade (PTC/Estância); os deputados estaduais Maria Mendonça (PP), Georgeo Passos (PTC) e Augusto Bezerra (DEM). Além dos vereadores Vinícius Porto (DEM) e Juvêncio Oliveira (DEM), e dos ex-deputados estaduais Zeca da Silva (PSC) e Zé Franco (PSDB).

 

Defesa de aliança

O senador Benedito de Lira disse à coluna que defende uma aliança do seu partido, o PP, com Jackson Barreto em 2018. Ele, inclusive, achava que a legenda em Sergipe era do mesmo agrupamento político do governador.

 

Uma vaga a menos

Para o empresário Adierson Monteiro, que disputou mandato de deputado federal em 2014, em 2018 só existem sete vagas pra deputado federal e uma para senador. Segundo ele, das oito vagas para Câmara dos Deputados uma já é de Wagner Júnior e das duas vagas para o Senado uma já é de Jackson Barreto. A coluna também tem esse entendimento.  

 

O professor JB

Luciano Barreto disse à coluna que para o neto vir a ser eleito deputado federal em 2018 vai ter que “pegar umas aulas com Jackson Barreto”. Não deixou de reconhecer a grande participação de JB na vitória do prefeito eleito Edvaldo Nogueira (PCdoB) no segundo turno das eleições, quando conseguiu a virada nos últimos 10 dias da campanha.

 

Só na próxima semana

Edvaldo Nogueira deixou para anunciar na próxima terça ou quarta-feira os membros que faltam da sua equipe de governo. Iria anunciar hoje mais uma parte, mas decidiu deixar para oficializar os nomes dos que faltam de uma vez só. À coluna disse que praticamente já está com todos os nomes na cabeça, mais ainda quer pensar um pouco mais.

 

Como mineiro 1

O prefeito eleito está trabalhando direitinho para ter maioria na Câmara Municipal com grande folga. Já conta hoje com o apoio de vários vereadores eleitos pela oposição, entre eles: Thiaguinho Batalha (PMB), Anderson de Tuca (PRTB), Manuel Marcos (PSDB) e Seu Marcos (PHS). Na última quarta-feira ele teve uma conversa com os quatro.

 

Como mineiro 2

Além desses quatro, como a coluna já noticiou, Edvaldo Nogueira já tem certo o apoio de Jason Neto (PDT), Juvêncio Oliveira (DEM), Fábio Meireles (PPS), Palhaço Soneca (PPS) e Cabo Amintas (PTB). Jason e Juvêncio, inclusive, confirmaram à coluna que vão integrar a bancada do prefeito eleito na Câmara.  

 

Como mineiro 3

Edvaldo, cuja coligação elegeu oito vereadores, conta hoje com o apoio de no mínimo 17 dos 24 vereadores eleitos. Já tem ampla maioria e com folga. Nos seis anos como prefeito de Aracaju nunca deixou de ter maioria ampla na Câmara e o presidente aliado. O nome que tem simpatia para presidir o Legislativo Municipal é o vereador Nitinho (PSD).

 

Não gostou 1

O ex-governador Albano Franco (PSDB) não gostou de saber ontem pela coluna que o senador Eduardo Amorim (PSC) e o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC), estavam trabalhando para colocar no lugar de Saumíneo Nascimento na superintendência do BNB o superintendente do BNB de Alagoas, Antônio César, que foi o antecessor de Saumíneo no banco.

 

Não gostou 2

Albano disse que Saumíneo Nascimento foi a única indicação do seu filho, o então senador Ricardo Franco, para cargos do governo federal em Sergipe. Ressaltou que a indicação dele contou com o aval da senadora Maria do Carmo Alves (DEM). O ex-governador deixou transparecer que não aceitará a saída de Saumíneo do BNB de Sergipe, que já começava a arrumar as malas para Alagoas, onde assumiria a superintendência do banco naquele estado no lugar de Antônio César.  

 

Reunião da oposição 1

Senadores, deputados federais, deputados estaduais e presidente de partidos de oposição ao governo Jackson Barreto se reuniram ontem para avaliar o atual momento político. Só faltou o líder do governo na Câmara, André Moura, pelos compromissos em Brasília com o governo Michel Temer.

 

Reunião da oposição 2

Segundo Eduardo Amorim, a oposição fez um balanço positivo das eleições municipais por ter elegido um maior número de prefeitos no interior e pela disputa na capital. “A diferença na capital foi menor que em Itabaiana, que é sete vezes menor que Aracaju”, afirmou à coluna, enfatizando que também houve um entendimento de que é preciso melhorar a comunicação, melhorar o diálogo.

 

Reunião da oposição 3

Revela que ficou acordado que antes do final do recesso parlamentar, em 31 de janeiro, haverá uma nova reunião da oposição para definir como deve ser a atuação política do agrupamento em 2017. “Há um clamor de que precisamos melhorar”, disse o senador.  

 

Ponte 1

Na vinda ontem a Sergipe para visitar as obras do Centro de Convenções e outras áreas de investimentos no setor turístico, ao lado do governador Jackson Barreto, o ministro Marx Beltrão (Turismo) falou sobre a construção da nova ponte ligando os estados de Sergipe e Alagoas. Disse que o projeto não está no seu ministério, mas no da Integração Nacional, mas sabe que os dois estados têm projetos diferentes para construção da ponte e que pelo lado de Alagoas as coisas estão mais avançadas.

 

Ponte 2

Segundo o ministro, que é alagoano, Alagoas já tem pronto o projeto da ponte e recursos já vão entrar no PAC em 2017 para a sua construção  ligando Neópolis a Penedo. Avalia que esse projeto é mais viável nesse momento de crise econômica, por ser mais barato. “O projeto de Sergipe é bem mais caro, por ser maior a extensão da ponte que vem a ligar os municípios de Brejo Grande e Piaçabuçu”.

 

Ponte 3

Para Marx, o Governo de Sergipe precisa abraçar o projeto da ponte de Alagoas. “Os dois governos se entendendo a ponte vai sair com maior rapidez. As duas bancadas federais também devem se entender para que às obras já comecem em 2017”, afirmou o ministro, que não perdeu a oportunidade de elogiar o empenho do deputado federal Fábio Reis (PMDB) pela liberação de recursos e investimentos para Sergipe e ser um elo entre o Ministério e o Governo de Sergipe.

 

Veja essa...

Do governador Jackson Barreto ao ser questionado pela coluna sobre o que estava fazendo em um ato político do PP, que não é do seu agrupamento político: “Vim paquerar o PP”. E o prefeito eleito Edvaldo Nogueira (PCdoB), que ouviu a conversa, disse: “E eu sou o alcoviteiro”.

 

... e essa...

Jackson admitiu que gostaria de ter o PP como aliado nas eleições de 2018 e falou da sua boa relação política com o presidente estadual do partido, o deputado estadual Venâncio Fonseca. Ressaltou a boa relação que tem com ele na Assembleia.

 

CURTAS

O prefeito eleito de Tobias Barreto, Diógenes Almeida, disse ontem que tem simpatia pelo nome do empresário Ricardo Franco para o governo do estado em 2018. “Votarei nele se esse for o projeto do governador Jackson Barreto, que é meu líder e do meu partido”.

 

Wagner Júnior disse que desde os 12 anos sempre participou de atos políticos, que esteve nas campanhas de Eduardo Amorim e que o senador era uma “inspiração” para ele.

 

O ex-procurador interino do Estado no governo Jackson Barreto, Ricardo Borba, pode vir a ser o procurador do município de Aracaju.

 

A secretária municipal da Defesa e da Cidadania, Georlize Oliveira, responderá pela SMTT na gestão do prefeito eleito Gilson Andrade (PTC/Estância).  

 

Lagarto está se transformando em um centro universitário. Com três universidades, incluindo UFS e Unit, em março de 2017 passará a contar com a AGES de Paripiranga, que vai implantar um Campus de Engenharia no município junto com um hotel. O investimento é de R$ 30 milhões, através do BNB.

----------------------------------------------- 

O universitário Wagner Júnior, em conversa com a coluna, disse que entra na vida pública aos 19 anos “inspirado” pelo avô Luciano Barreto. “Quando meu avô era jovem foi líder estudantil. Sempre gostou de política e me contava sempre histórias sobre a política. Isso me motivou a gostar de política, a querer participar da mudança que o país precisa e ajudar no que puder”.

Disse que fez a opção de se filiar ao PP pela ligação do seu avô com o presidente do partido, Venâncio Fonseca. “Foi por questões familiares e a convivência com o amigo Gilberto Occhi [presidente da CEF]”, explicou, enfatizando que era o partido que queria ingressar.