Secretaria de Saúde discute ações de combate ao Aedes aegypti

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/12/2016 às 00:26:00

A Secretaria do Estado da Saúde (SES) realizou ontem reunião para discutir as ações de combate ao Aedes aegypti. Entre as iniciativas, está a de disponibilização de soldados do Exército para realizar visitas domiciliares com agentes de endemias. O objetivo é eliminar criadouros do mosquito e, quando necessário, promover, através dos supervisores de grupo, o tratamento de reservatórios de água (larvicida).

A reunião envolveu representantes do Núcleo Estratégico (NEST), Sala Estadual de Situação, Diretoria de Vigilância Epidemiológica/Núcleo de Endemias/SES, representantes da Secretaria Municipal da Saúde de Aracaju, do Batalhão do 28º BC e da Fundação Estadual da Saúde (Funesa).

A previsão para início das atividades é para o dia 16 de janeiro. A duração do trabalho de campo em conjunto, entre a Saúde e o Exército, está previsto para ocorrer até o dia 30 de abril de 2017. Os demais municípios envolvidos na operação serão elencados de acordo com indicadores epidemiológicos e entomológicos, e informados ao Exército.

A operação conta com recursos oriundos do Ministério da Defesa. Para essa ação integrada, as Salas Estaduais de Situação, em conjunto com as áreas técnicas de estados e municípios, serão responsáveis pela articulação, planejamento e monitoramento da ação conjunta com o Exército brasileiro. Já a execução e acompanhamento do trabalho de campo serão desenvolvidos através da Funesa e Núcleo de Endemias/DVS/SES.

A coordenadora de Promoção e Prevenção a Saúde, Liliane Trindade, ressaltou a parceria da instituição. “A Funesa está sendo parceira nessa capacitação, oferecendo todo o apoio logístico e operacional”. A coordenadora do Nest, Eliane Nascimento, chama a atenção da população para os cuidados nessa época. “Nesse período, qualquer chuva pode fazer com que os ovos eclodam em questão de horas. É por isso que a gente dá a recomendação de que os recipientes sejam escovados, limpos com frequência, para retirar qualquer ovo que possa conter lá”, explica.