Polícia esclarece mortes de costureira e de mulher morta a pauladas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/08/2012 às 11:14:00

A diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegada Theresa Simony, detalhou ontem as investigações que resultaram na prisão de três acusados de homicídios registrados neste mês. Uma das prisões ocorreu em 9 de agosto, quando o morador de rua Luã Henrique da Silva Costa, 21 anos, foi detido em flagrante pela morte da usuária de drogas Claudenice Freitas Almeida, morta a pauladas em uma praça no Cj. Augusto Franco (zona sul de Aracaju).   

Durante depoimento, Luã confessou a autoria do crime. "Ele alegou que após beber com a vítima, num bar localizado no conjunto Augusto Franco, teve relações sexuais com a vítima em via pública. Em seguida a vítima tentou pegar dinheiro que estava em seu bolso e por conta disso foi iniciada uma discussão. Inicialmente ele tentou estrangulá-la. Depois pegou um pedaço de pau e desferiu-lhe vários golpes que lhe tiraram a vida", explicou a delegada Simony.  Luã foi preso quando saía de um salão de beleza, mas foi solto dias depois for força de uma ordem judicial.

Outro acusado preso foi José Urcani Santos Pires, 41, que teve a prisão temporária decretada pela Vara Criminal de Nossa Senhora do Socorro. Ele é apontado como um dos responsáveis pelo assassinato da costureira Valderez Freitas, 46, que foi usada como escudo durante uma briga entre dois bandidos. O crime ocorreu em 5 de julho no Cj. Jardim, em Socorro, quando, após ser perseguido por um inimigo, ele invadiu a casa da vítima e pôs-se atrás da costureira. A vítima acabou baleada e encaminhada para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde morreu.   

Segundo a polícia, José Urcani se encontrava em liberdade condicional pela prática de dois homicídios e também era investigado pela 7ª Delegacia Metropolitana (Cj. Jardim)pela prática de latrocínio contra Jabes Alves da Silva, em 13 de maio deste ano.