Banese apoia entidade que trabalha com a educação de criança carente

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/08/2012 às 11:14:00

A Sociedade Protetora da Casa Maternal Amélia Leite, de Aracaju, está entre as instituições que recebem o apoio do Banco do Estado de Sergipe (Banese), através do Instituto Banese, dentro da sua política de responsabilidade social. Fundada em 26 de março de 1947, a Casa Maternal cuida atualmente da educação de 98 crianças de 3 a 5 anos de idade que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Segundo a presidente da entidade, Maria Isabel Prado Casali, a Casa Maternal tem entre as suas metas aumentar o número de alunos que atende em sua escola, passando a receber também crianças de 6 anos. Quem quiser ajudar, pode doar qualquer valor para a entidade através da conta corrente 03/100.752-4, agência 048 do Banese.

Instituição privada sem fins lucrativos, a Casa Maternal Amélia Leite foi inaugurada em uma dependência do Hospital de Cirurgia, pelo médico Augusto César Leite e um grupo de senhoras que se preocupavam com os problemas médico-sociais relacionados à maternidade e à infância. Em 1958, a entidade ganhou um prédio próprio e mais amplo, na Rua Frei Paulo, 682, no Bairro Suissa, onde funciona até hoje, voltada para as questões da criança carente.