Hospital de Lagarto atendeu este ano mais de 3 mil idosos vítimas de queda

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/12/2016 às 00:18:00

Somente este ano, de janeiro a novembro, o Hospital Regional Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro (HRL), em Lagarto, na região Centro-Sul de Sergipe, já atendeu a mais de 3.300 pessoas vítimas de vários tipos de quedas, como da própria altura, de telhados, escadas, entre outros. E muitos desses acidentes envolvem idosos e trazem uma grande preocupação. Isto porque a recuperação física nesta fase da vida é mais difícil, mais complicada e mais lenta.

O ortopedista Érico de Pinho Menezes, referência técnica em Ortopedia do HRL, revela que a ocorrência de quedas de idosos são mais comuns dentro de casa. “A maioria dos casos de idosos vítimas de queda de própria altura que chegam a um serviço de Urgência de Ortopedia é decorrente de traumas ocorridos no próprio domicílio. Entretanto, com o envelhecimento da população brasileira ocorrida nos últimos anos e com a melhoria das condições de saúde do idoso, fato que o torna mais ativo, quedas ocorridas em via pública estão cada vez mais frequentes”, explica.

Segundo o especialista do HRL, as quedas que ocorrem na rua estão relacionadas às más condições das vias públicas. “Geralmente são calçadas desniveladas, danificadas ou mal sinalizadas”, completa. “Já as que ocorrem no domicílio, decorrem de um ambiente inapropriado para o idoso, com pisos lisos, tapetes soltos, animais de estimação, etc. Cozinha e principalmente banheiro são os cômodos relatados com maior frequência”, salienta o ortopedista.

De acordo com ele, de todos os cômodos, o banheiro é o local mais perigoso para os idosos. “Isso se deve ao fato de nesse cômodo haver pisos lisos e escorregadios, muitas vezes piorados pela presença de água, além do fato de o idoso ter que abaixar-se e levantar-se do assento sanitário, momento em que há grande risco de desequilíbrio e queda”, afirma Érico de Pinho, que há dois anos atua no Serviço de Ortopedia do HRL.

Foi o que aconteceu este mês com a lavradora M.B.M, de 76 anos, que reside no município baiano de Adustina. A idosa foi encaminhada pelo Posto de Saúde de sua cidade ao Hospital Regional de Lagarto, onde na última segunda-feira, 26, submeteu-se a uma cirurgia de fêmur. “Ela pediu a minha irmã para ir ao banheiro e, quando foi se sentar no vaso sanitário, acabou escorregando e fraturando o fêmur”, conta a uma das filhas da paciente, a também lavradora Cristiane Nunes da Conceição, de 34 anos, que nesta quarta-feira, 28, acompanhava a mãe (já se recuperando da cirurgia na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HRL). “Até agora não tenho do que me queixar. O atendimento daqui tem sido ótimo”, complementa.