Retrospectiva 2016

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 30/12/2016 às 00:22:00

Rita Oliveira

 

Retrospectiva 2016

 

O ano de 2016 na política nacional foi marcado pela intensificação da Operação Lava Jato, que levou para a prisão políticos com mandatos e grandes empreiteiros atolados em grande esquema de corrupção, e, principalmente, o impeachment de Dilma Rousseff.

O Brasil ficou dividido entre os que eram a favor do impeachment da então presidente e os que eram contrários. Milhões de brasileiros foram às ruas defender suas convicções, prevalecendo o Fora Dilma e a chegada ao Palácio do Planalto do vice Michel Temer.

Nas redes sociais e nas rodas políticas foram várias as desavenças entre os que eram a favor e contra a saída de Dilma e do PT do governo. Algumas amizades chegaram a ser abaladas por conta desse imbróglio.

Foi consenso nacional a prisão do então presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado de receber propina de contrato de exploração de Petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro. O povo brasileiro vibrou com a prisão do cínico e todo poderoso Cunha e aguarda a prisão e afastamento do Senado do presidente Renan Calheiros (PMDB-AL).

Este ano também foi marcado pela prisão de dois ex-governadores do Rio de Janeiro: Anthony Garotinho e Sérgio Cabral por corrupção e mazelas. Assim como a luta do juiz Sérgio Moro e da imprensa nacional para desgastar politicamente o ex-presidente Lula e o PT. Lula tornou-se réu pela 5ª vez e foi denunciado por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Já o PT foi o grande derrotado nas eleições municipais deste ano, quando em 2012 tinha elegido 630 prefeitos e em 2016 apenas 256.

A nível local, 2016 foi marcado pelo afastamento de dois deputados estaduais das atividades parlamentares – Augusto Bezerra (DEM) e Paulinho da Varzinhas (PTdoB) – envolvidos no escândalo das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa. Eles, inclusive, estão proibidos de colocarem os pés na Assembleia.     

Assim como do afastamento de 10 dos 24 vereadores de Aracaju das funções parlamentares pela acusação de envolvimento em desvio de recursos das verbas indenizatórias da Câmara de Vereadores, através da Operação Indenizar-se. Dois deles chegaram a ser presos: Agamenon Sobral (PHS) e Adelson Barreto Júnior (PR)

O ano foi marcado também pela vitória do agrupamento político do governador Jackson Barreto (PMDB) em Aracaju, quando foram eleitos em 02 de outubro Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Eliane Aquino (PT). Edvaldo ganhou no primeiro e segundo turno para Valadares Filho (PSB), o candidato da oposição, capitaneada pelos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSC), e pelo líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC).

O fato de JB ter arregaçado as mangas na campanha de Edvaldo, faltando menos de 15 dias para as eleições, foi crucial para a virada no segundo turno. Muitos achavam que JB estava morto politicamente com o desgaste do parcelamento e atraso no salário dos servidores públicos. E ele virou o jogo, favorecido, também, pelo perfil de bom gestor de Edvaldo e do carisma de Eliane Aquino.

O ano de 2016 também será o ano em que o prefeito João Alves Filho (DEM) rasgou sua biografia de bom gestor e morreu politicamente com a sua trágica gestão na Prefeitura de Aracaju. A resposta do povo já foi dada nas urnas, quando amargou um terceiro lugar na disputa pela reeleição, com insignificantes 25 mil votos.

Essa votação inexpressiva e vergonhosa para um ex-governador com três mandatos e um ex-ministro, foi fruto dos desmandos administrativos. Mesmo com aumento abusivo do IPTU e criação de taxa de iluminação, os aracajuanos conviveram este ano com postos de saúde fechados, escolas sem merenda, ruas escuras e esburacadas, lixos por toda a cidade e problemas com a mobilidade urbana.

Trocando em miúdos, 2016 foi um ano de altos e baixos na política local e nacional...

....................................................................................

Aracaju

Em 2016, um total de 15 dos 24 vereadores foi denunciado pelo Ministério Público Estadual por uso indevido das verbas de gabinete no valor mensal de R$ 15 mil. Mas somente 10 foram afastados das atividades parlamentares e dois chegaram a ser presos.

 

Os denunciados

Os 15 denunciados foram: Adriano Taxista (PSDB), Adelson Barreto Filho (PR), Agamenon Sobral (PHS), Agnaldo Feitosa (PR), Anderson de Tuca (PRTB), Jailton Santana (PSDB), Augusto do Japãozinho (PRTB), Valdir Santos (PT do B), Ivaldo José (PRTB), Max Prejuízo (PSB), Daniela Fortes (PEN), Gonzaga de Santana (PMDB), Emmanuel Nascimento (PT), Roberto Moraes (SD) e Renilson Félix (DEM).

 

Os afastados

Foram afastados das atividades parlamentares e proibidos de entrar na Câmara: Adriano Taxista, Adelson Barreto Filho, Agamenon Sobral, Agnaldo Feitosa, Jailton Santana, Augusto do Japãozinho, Valdir Santos, Daniela Fortes, Emmanuel Nascimento e Renilson Felix. Desses, dois chegaram a ser presos: Agamenon e Adelson.  Dos que disputaram a reeleição nenhum foi vitorioso no pleito.

 

Renovação

Apenas oito dos 20 vereadores que disputaram a reeleição foram reeleitos em Aracaju em 02 de outubro. São eles: Iran Barbosa (PT), Vinícius Porto (DEM), Lucas Aribé (PSB), Bigode (PMDB), Anderson de Tuca (PRTB), Manuel Marcos (PSDB), Nitinho (PSD) e Dr. Gonzaga (PMDB). A renovação foi o correspondente a 2/3 da Câmara.

 

Assembleia

Nas eleições deste ano três deputados estaduais foram eleitos prefeitos dos seus municípios: Gilson Andrade (PTC/Estância), Padre Inaldo (PCdoB-Socorro) e Walmir Monteiro (PSC-Lagarto). Vão assumir suas vagas na Assembleia Legislativa em 2017 os suplentes: Adelson Barreto Filho (PR), Gilmar Carvalho e Moritos Matos (PDT).

 

Foram reeleitos 1

Dos 39 prefeitos que foram para a reeleição 21 conseguiram ser reeleitos. São eles: Airton Martins (PMDB-Barra), Marcelo Moraes (PSD-Cumbe), Dr. Sylvio (SD-Divina Pastora), Cassinho de Quixabeira (PSB-Graccho Cardoso), Cristiano Beltrão (PSC-Ilha das Flores), Valmir de Francisquinho (PSC-Itabaiana), Elaine de Dedé (PSB-Malhador), Jeferson Santana (PMDB-Maruim), Fernandinho Franco (PSDB-Muribeca), Vera (PMDB-Nossa Senhora Aparecida), Chico (PT-Nossa Senhora da Glória), Fábio Andrade (PSD-Nossa Senhora de Lourdes).

 

Foram reeleitos 2

Ainda reeleitos: Alexandre Martins (PSC-Pacatuba), Neto de Milton (DEM-Pedra Mole), Elio Martins (PSC/Pirambu), Candida Leite (PMDB-Riachuelo), Laércio Passos (PSC-Rosário do Catete), Duílio (PSB-Salgado), Júnior Barrozo (PSC-Santana do São Francisco), Marival Santana (PSC-Simão Dias), Pedrinho (PT-São Domingos).

 

Os eleitos 1

Os prefeitos eleitos e que tomam posse em 1º de janeiro: Edvaldo Nogueira (PCdoB-Aracaju), Franklin Freire (PR-Amparo do São Francisco), Dr Mário (PRB-Aquidabã), Ranulfo (PSB-Arauá), Alan de Agripino (PSC-Areia Branca), Eraldo de Cabeça Dantas (SD/Boquim), Clysmer (PSB-Brejo Grande), Marcell Souza (PSDB-Campo do Brito), Manoel Arroz (PSD/Canhoba), Orlandinho (PSD-Canindé), Silvany Sukita (PTN-Capela), Negão (PSC/Carira), Volney Leite (DEM-Carmopolis), Neudo Alves (DEM-Cedro de São João), Du de Juca (PDT/Cristinápolis), Gilson Andrade (PTC-Estância), Painho (PSD-Feira Nova), Anderson de Zé (PMDB-Frei Paulo), Elizabeth (PSC-Gararu), Valmir (PSD-General Maynard), Adinaldo (PMDB-Indiaroba), Danilo de Joaldo (PMDB-Itabaianinha), Mané do Povo (PSD-Itabi).

 

Os eleitos 2

Ainda eleitos este ano como prefeito: Otavio Sobral (PSDB-Itaporanga D´Ajuda), Magno (PTN-Japoatã), Valmir Monteiro (PSC-Lagarto), Paulinho da Varzinhas (DEM-Laranjeiras), Luciano de Vital (PT-Macambira), César de Malhada (PSC-Malhada dos Bois), Marcos Costa ( PMDB-Moita Bonita),  Nena de Luciano (PRB-Monte Alegre), Dr. Luizinho (PR-Neópolis), Dr. Thiago (PMDB-Nossa Senhora das Dores),  Padre Inaldo (PCdoB-Nossa Senhora do Socorro), Neto de Milton (DEM-Pedra Mole), Mara da Farmácia (PDT-Pedrinhas),  Ana Rosa (PMDB-Pinhão), Miguel de Dr Marcos (PR-Porto da Folha), Dr. Júnior Chagas (PRB-Poço Redondo),  Iggor Oliveira (PSC-Poço Verde).

 

Os eleitos 3

Também eleitos: Iokanaan Santana (PSB-Propriá) Candida Leite (PMDB-Riachuelo),  Gerana Costa (PTdoB-Riachão do Dantas), Antonio Passos (DEM-Ribeirópolis),  Edson Cruz  (PMDB-Santa Luzia do Itahny) , Junior Macarrão (PSD-Santa Rosa de Lima), Zé Rosa (PSB-Siri), Marcos Santana (PMDB-São Cristovão), Pedrinho (PT-São Domingos),  Altair (PSB-São Francisco), Everton Lima (PSDB-São Miguel do Aleixo), Flávio Dias (PMDB-Telha), Diógenes Almeida (PMDB-Tobias Barreto), Pedrinho Balbino (SD-Tomar do Geru) e Humberto Maravilha (PMDB-Umbaúba)

 

Quadro partidário

Os partidos que mais elegeram prefeitos em Sergipe foram: PMDB (15), PSC (12), PSB (09) e PSD (08). Os que menos elegeram DEM (05), PR (04), PT (03), PRB (03) PCdoB (02).

 

Grande dificuldade

O ano de 2016 foi um ano em que os servidores públicos do estado e dos municípios sofreram com pagamentos de salários atrasados e até parcelamento. Os da Prefeitura de Aracaju ficaram em pior situação, com atraso no pagamento de até dois meses, o que motivou várias greves de servidores.

 

Veja essa...

A frase bomba em 2016 do vice-prefeito José Carlos Machado (PSDB, com grande repercussão, foi com relação a situação difícil da prefeitura  e que desabafou: “A equipe de João Alves só quer roubar e ele está cagando para isso”.

 

 

CURTAS

 

A coluna divulgou ontem, com exclusividade, todos os nomes anunciados pelo prefeito eleito Edvaldo Nogueira (PCdoB) para compor a sua equipe. O único nome que não foi antecipado foi o de Augusto César Mendonça Viana para a Secretaria do Meio Ambiente.

 

Conforme a coluna antecipou, foram confirmados ontem os nomes de Eliane Aquino para a Ação Social; Sérgio Ferrari para Infraestrutura e Emurb; Cecília Tavares Leite para Educação; Jorginho Araújo para Esporte e Juventude; Luciano Correia na Comunicação; Silvio Santos para a Funcaju; Luis Roberto para a Fundat e Ari Fernandes para a SMTT.

 

A divisão dos cargos ficou assim: PT (Inclusão Social e Fundat), PMDB (Emsurb, Meio Ambiente, e Infraestrutura e Emurb), PSD (Fundat e Juventude e Esporte), PCdoB (Educação).

 

Na quota pessoal do prefeito eleito os secretários Carlos Cauê (Governo), Luciano Correia (Comunicação) e Sérgio Sotero (Saúde).

 

Como a coluna também antecipou ontem, com exclusividade, Edvaldo não tinha fechado ainda os nomes para as Secretarias de Planejamento e Indústria e Comércio, assim como Procuradoria e Controladoria. Pode anunciar hoje os nomes que faltam.

---------------------------------------------------

Edvaldo buscará apoio

Durante anúncio ontem do secretariado, o prefeito eleito Edvaldo Nogueira (PCdoB) disse que vai nos gabinetes dos senadores Eduardo Amorim (PSC) e Maria do Carmo (DEM) em busca de recursos para Aracaju. Afirmou que não vê problema algum em fazer isso, pois está em jogo resolver os problemas de Aracaju, que não são poucos. “Vou atrás para que possam me ajudar a fazer um bom governo”, garantiu.

Edvaldo lamentou que o dinheiro da multa da repatriação estava previsto para ser repassado ontem para os estados e municípios, pelo governo federal. “Sei que esse dinheiro já acabou”, afirmou.