Já vai tarde

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/12/2016 às 00:10:00

Tribuna

 

Já vai tarde

 

O fim da administração de João Alves Filho na Prefeitura de Aracaju não encerra o caos que ele deixa na cidade. O prefeito eleito Edvaldo Nogueira terá que usar todo o crédito que dispõe para negociar com fornecedores, prestadores de serviços e funcionários da PMA para que aos poucos o município vá retomando a normalidade administrativa.

Nos últimos dias, o presidente do Tribunal de Contas do Estado Clóvis Barbosa de Melo era quem estava sendo o prefeito de fato. Era ele quem administrava os recursos da PMA para tentar concluir o pagamento dos servidores e, de última hora, as contas de energia para evitar que o novo prefeito assumisse com o seu gabinete às escuras.

Governador por três mandatos e um dos maiores líderes de sua geração, João Alves Filho (DEM) é o pior prefeito da história recente de Aracaju. Dá calote em todo mundo, não paga os servidores, fecha os postos de saúde e unidades de emergência, aumenta os impostos, cria taxas, suspende a merenda das crianças nas escolas e, segundo o vice-prefeito José Carlos Machado, fechou os olhos para a roubalheira escancarada que seria praticada por seus secretários.

Qualquer prefeito com um referencial desses já estaria preso ou, no mínimo, teria sido afastado do cargo pelos órgãos de controle - o Ministério Público e o Tribunal de Contas. Contra João nada acontece. Ele pode tudo. João Alves repetiu em Aracaju o que Divaldo Suruagy fez com Alagoas em seu último governo.

Apesar do bloqueio de recursos por conta dos atrasos nos salários, as ações contra a Prefeitura de Aracaju não são mais contundentes porque os órgãos de controle tentam preservar a história que João Alves Filho construiu como governador do Estado por três mandatos. Suas gestões no governo, no entanto, não têm nada a ver com o caos que ele implantou na PMA. João Alves é o pior prefeito desde o restabelecimento das eleições diretas nas capitais, em 1985.

Além de tudo, João Alves debocha dos aracajuanos. Na quarta-feira, em rápida entrevista à TV Sergipe, no melhor estilo cara de pau, disse que não existia nenhum caos em Aracaju e que estava entregando uma cidade melhor do que recebeu. Em dezembro de 2012, a cidade funcionava normalmente, com salários em dia e até uma grande festa de réveillon na orla da Atalaia. As dívidas deixadas eram referentes a serviços prestados que são pagos após a prestação de contas, tanto que no mês de fevereiro de 2013, Nilson Lima, o primeiro secretário da Fazenda de João Alves, anunciou que não havia mais dívidas da administração anterior.

Hoje a situação é bem diferente. Servidores não receberam os salários de dezembro – alguns também estão sem décimo -, postos de saúde estão fechados, escolas sem merenda, serviços como a coleta de lixo deficiente, já que as equipes foram reduzidas num acordo entre empresa/MPE/PMA, e há um débito já levantado pela equipe de transição do novo prefeito de R$ 500 milhões, quase 1/3 de todo orçamento previsto para 2017, de R$ 1,8 bilhão.

João Alves implantou o caos e não deixa saudades. Já deveria ter sido afastado há muito tempo.

----

Qualquer prefeito com um referencial desses já estaria preso ou, no mínimo, teria sido afastado do cargo pelos órgãos de controle - o Ministério Público e o Tribunal de Contas. Contra João Alves Filho nada acontece. Ele pode tudo

-----

 

 Ressentido e derrotado

 

Após o anúncio do secretariado de Edvaldo Nogueira, o deputado federal Valadares Filho (PSB), que perdeu as eleições de outubro no segundo turno, usou as redes sociais para atacar:

“Depois do anúncio de grande parte do secretariado da futura gestão de Aracaju, verificamos que será um governo dos mesmos para os mesmos. A política tomando conta da gestão daquele que dizia que faria um governo mais técnico e menos partidarizado. Infelizmente, os métodos atrasados na formação de uma equipe permanecerão na prefeitura de Aracaju. Inclusive,com a ingerência direta do seu padrinho político,Jackson Barreto,tornando o Prefeito,mais uma vez,um mero secretário do Governador”.

Deveria ter ficado calado. Mostrou ressentimento e desrespeito ao eleitor aracajuano que fez a opção por Edvaldo.

---------

Os novos prefeitos

 

Dos 39 prefeitos que foram para a reeleição nas eleições de outubro, 21 conseguiram ser reeleitos e serão reempossados em primeiro de janeiro. São eles: Airton Martins (PMDB-Barra), Marcelo Moraes (PSD-Cumbe), Dr. Sylvio (SD-Divina Pastora), Cassinho de Quixabeira (PSB-Graccho Cardoso), Cristiano Beltrão (PSC-Ilha das Flores), Valmir de Francisquinho (PSC-Itabaiana), Lara Moura (PSC-Japaratuba), laine de Dedé (PSB-Malhador), Jeferson Santana (PMDB-Maruim), Fernandinho Franco (PSDB-Muribeca), Vera (PMDB-Nossa Senhora Aparecida), Chico do Correio (PT-Nossa Senhora da Glória), Fábio Andrade (PSD-Nossa Senhora de Lourdes), Alexandre Martins (PSC-Pacatuba), Neto de Milton (DEM-Pedra Mole), Elio Martins (PSC/Pirambu), Candida Leite (PMDB-Riachuelo), Laércio Passos (PSC-Rosário do Catete), Duílio (PSB-Salgado), Júnior Barrozo (PSC-Santana do São Francisco), Marival Santana ( PSC-Simão Dias), Pedrinho (PT-São Domingos).

Os prefeitos eleitos e que também tomam posse neste domingo são Edvaldo Nogueira (PCdoB-Aracaju), Franklin Freire (PR-Amparo do São Francisco), Dr Mário (PRB-Aquidabã), Ranulfo (PSB-Arauá), Alan de Agripino (PSC-Areia Branca), Eraldo de Cabeça Dantas (SD/Boquim), Clysmer (PSB-Brejo Grande), Marcell Souza (PSDB-Campo do Brito), Manoel Arroz (PSD/Canhoba), Orlandinho (PSD-Canindé), SilvanySukita (PTN-Capela), Negão (PSC/Carira), Neudo Alves (DEM-Cedro de São João), Du de Juca (PDT/Cristinápolis), Gilson Andrade (PTC-Estância), Painho (PSD-Feira Nova), Anderson de Zé (PMDB-Frei Paulo), Elizabeth (PSC-Gararu), Valmir (PSD-General Maynard), Adinaldo (PMDB-Indiaroba), Danilo de Joaldo (PMDB-Itabaianinha), Mané do Povo (PSD-Itabi).

Também foram eleitos Otavio Sobral ( PSDB-Itaporanga D´Ajuda), Magno (PTN-Japoatã), Valmir Monteiro (PSC-Lagarto), Paulinho da Varzinhas (DEM-Laranjeiras), Luciano de Vital (PT-Macambira), César de Malhada (PSC-Malhada dos Bois), Marcos Costa ( PMDB-Moita Bonita),  Nena de Luciano (PRB-Monte Alegre), Dr. Luizinho (PR-Neópolis), Dr. Thiago (PMDB-Nossa Senhora das Dores),  Padre Inaldo (PCdoB-Nossa Senhora do Socorro), Neto de Milton (DEM-Pedra Mole), Mara da Farmácia (PDT-Pedrinhas),  Ana Rosa (PMDB-Pinhão), Miguel de Dr Marcos (PR-Porto da Folha), Dr. Júnior Chagas (PRB-Poço Redondo),  Iggor Oliveira (PSC-Poço Verde).

Além de Iokanaan Santana (PSB-Propriá) Candida Leite (PMDB-Riachuelo),Gerana Costa (PTdoB-Riachão do Dantas), Antonio Passos (DEM-Ribeirópolis),  Edson Cruz  (PMDB-Santa Luzia do Itahny) , Junior Macarrão (PSD-Santa Rosa de Lima), Zé Rosa (PSB-Siri), Marcos Santana (PMDB-São Cristóvão), Pedrinho (PT-São Domingos),  Altair (PSB-São Francisco), Everton Lima (PSDB-São Miguel do Aleixo), Flávio Dias (PMDB-Telha), Diógenes Almeida (PMDB-Tobias Barreto), Pedrinho Balbino (SD-Tomar do Geru) e Humberto Maravilha (PMDB-Umbaúba).

Em Carmópolis o vencedor foi Volnei Leite (DEM), mas sua chapa impugnada em função da inelegibilidade do candidato a vice-prefeito e haverá nova eleição. O vereador que for eleito presidente da Câmara é quem assume até o novo pleito.

-------------

Com as torcidas

 

Dirigentes das três principais equipes de futebol de Sergipe estão representados na equipe do prefeito Edvaldo Nogueira: Luis Roberto (Fundat) é dirigente do Confiança, Sílvio Santos (Funcaju) é presidente do Sergipe, e Luciano Correia (Comunicação) é vice-presidente do Itabaiana.

Isso não foi levado em conta na hora da indicação para os cargos, mas não deixa de ser uma boa coincidência.

--------------

 

Odebrecht e Navalha

O Correio Braziliense publicou semana passada a seguinte nota: “Do rol de governadores do Nordeste, apenas Jackson Barreto, de Sergipe, e Camilo Santana, do Ceará, escapam de qualquer citação na lista da Odebrecht”.

Por enquanto, de Sergipe só apareceu nas listas da Odebrecht o nome do ainda prefeito de Aracaju, João Alves Filho.

Aliás, com o fim do foro privilegiado, o processo contra João na Operação Navalha, que tramitava no TRF-5, de Recife, volta para Aracaju, provavelmente para a primeira vara, onde a juíza Telma Maria Santos Machado já cuida dos outros réus do caso.

O inquérito contra João terá que ser aberto formalmente e o seu julgamento deverá demorar mais do que os outros casos, que têm até dois de março para apresentação da defesa final.

--------------

Mais um réu

 

O presidente da Assembleia, deputado Luciano Bispo, confirmou que dará posse a Adelson Barreto Filho como deputado estadual, na vaga de Gilson Andrade, eleito prefeito de Estância. Os outros suplentes que assumem são Gilmar Carvalho, na vaga de Valmir Monteiro, novo prefeito de Lagarto, e Morito Matos, no lugar de Padre Inaldo, prefeito de Socorro.

Se fosse precavido, Luciano Bispo faria uma consulta jurídica para saber se pode mesmo empossar Adelson. Ele é um dos oito vereadores de Aracaju impedidos de assumir cargos públicos em função do desvio de recursos das verbas indenizatórias da Câmara, um rombo de R$ 5 milhões. Chegou a ser preso e não pode sequer entrar na sede do legislativo municipal.

Caso dê mesmo posse a Adelson Barreto Filho, a Assembleia Legislativa abrigará mais um réu.

---------------

Uma temeridade

 

Vinícius Porto (DEM) aparece como o favorito na disputa para a presidência da Câmara de Vereadores, em primeiro de janeiro. Uma temeridade. Foi ele quem levou a câmara para as páginas policiais, com o escândalo das verbas indenizatórias.

Disputam o cargo também os vereadores Nitinho (PSD), Iran Barbosa (PT) e Juvêncio Oliveira, que está deixando o DEM.