Valor do IPTU deste ano em Aracaju será igual ao do ano passado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/01/2017 às 08:28:00

Milton Alves Júnior

 

Moradores de Aracaju se preparam para pagar de forma parcelada, ou integral, o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). O ex-prefeito João Alves Filho, depois de reajustar o valor do imposto em 30% todos os anos até o ano de 2022, publicou o Decreto 5431 que congela o valor atual, ou seja, este ano a tarifa será igual a do ano passado. A Secretaria Municipal de Fazenda informou que os boletos já estão sendo distribuídos e o prazo final para pagamento é 5 de fevereiro.

A decisão da gestão anterior foi adotada sem debater o assunto junto aos vereadores. O decreto foi publicado nas páginas 07 e 08 do Diário Oficial, de 29 de dezembro. O prefeito Edvaldo Nogueira informou que o decreto do ex-prefeito será mantido este ano e que a partir de 2018 o IPTU será reajustado de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA/E). Sendo assim, no próximo ano o reajuste previsto para 30% cai para 8,78%, o que resulta em uma redução de 21,22%.

"Uma comissão de profissionais da Secretaria da Fazenda já está empenhada nos estudos e ainda nesse trimestre vamos informar como vamos proceder a favor do povo, assim como prometemos na eleição. O que não podemos é aceitar este reajuste abusivo por mais alguns anos prejudicando o cidadão trabalhador", comunicou Edvaldo Nogueira. A data para o anúncio será escolhida assim que o resultado dos estudos estiver pronto. O fato foi oficializado pelo secretário municipal da fazenda Jefferson Passos que diz se empenhar na causa.

Ainda de acordo com Jefferson, aqueles contribuintes que tura não receberam os respectivos boletos, ou desejam obtê-lo mais rapidamente, o indicado é acessar o site da Prefeitura de Aracaju, onde estará disponível para impressão. Assim como ocorre ao longo dos anos, será concedido desconto de 10% para aqueles que realizarem o pagamento em cota única e que não possuem débitos a quitar; já para os inadimplentes o desconto máximo será de 5%.