Médicos da PMA desistem de paralisação total e aguardam pagamento de salários

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/01/2017 às 00:32:00

Na tarde de ontem os médicos que prestam serviços para o Sistema Único de Saúde de Aracaju se reuniram em assembleia a fim de debater os efeitos causados pela greve a qual completou exato um mês no primeiro dia útil de 2017. De acordo com a direção do Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe, o prefeito empossado, Edvaldo Nogueira, se mostra interessado em atender aos pleitos da categoria, e, por este motivo, o Sindimed desistiu de suspender todos os atendimentos em unidades administradas pela PMA. A greve segue ocorrendo nos 43 postos de saúde com escala de 30% conforme exigido pela Constituição Federal.

 

Com o salário referente ao mês de dezembro ainda em atraso e com o décimo terceiro salário ainda indisponível a todos os servidores municipais, os médicos aprovaram por unanimidade a sequência dos atos públicos por tempo indeterminado. Para João Augusto Oliveira, presidente do Sindimed, é necessário que os novos gestores municipais busquem, ao menos, pagar os débitos da gratificação natalina enquanto 'reorganizam' a casa e buscam regularizar todas as pendências. Caso o décimo seja quitado em curto prazo, os profissionais se comprometeram em retomar as funções em escala integral.

"Foi um ponto levado aos filiados que aprovaram a medida, então nós seguimos com a greve como ocorre desde o dia 02 de dezembro e podemos encerrar assim que o décimo for depositado em nossas contas. Nosso salário de dezembro também aguardamos que a Prefeitura de Aracaju possa quitar o mais rápido possível e que daqui para frente os problemas enfrentados a cada final de mês fiquem no passado", declarou. Ciente da proposta, a Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz), informou que está trabalhando para realizar este pagamento até a próxima sexta-feira, 06. Referente ao pagamento salarial, a perspectiva é que a data para repasse das verbas seja publicada nos próximos dias.

Enquanto os grevistas se reuniam em assembleia, Edvaldo Nogueira e Eliane Aquino empossavam os secretários anunciados para ocupar os cargos do primeiro escalão. Questionado sobre as dificuldades financeiras e de relacionamento junto a todas as categorias ligadas à Secretaria Municipal de Saúde, André Sotero que passa a responder pela pasta disse estreitar o diálogo com os servidores e buscar de forma coletiva acabar com os problemas. Para que os anseios se tornem realidade ele pediu o apoio de todos, e, principalmente, paciência para este período de transição.

"Todos nós sabemos das dificuldades e por isso pedimos um pouco de paciência para que possamos resolver as demandas. A posse foi hoje e não temos condições de resolver tudo já no primeiro dia. O que posso garantir é que o prefeito, a vice e todos os secretários estão empenhados, dispostos a estreitar o diálogo com os servidores e conseguir atender às reivindicações de melhoria, sobretudo aquelas que dizem respeito aos direitos do trabalhador", afirmou.