23 mortes na virada do ano em Sergipe: 13 homicídios

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/01/2017 às 00:35:00

O final de semana que marcou a virada do Ano Novo em Sergipe teve 23 mortes violentas registradas pelo Instituto Médico Legal (IML). Ao todo, foram quatro ocorrências registradas no sábado (31 de dezembro) e outras 19 entre domingo e segunda-feira (1 e 2 de janeiro). A maioria dos casos foi de vítimas de assassinatos: 13 ao todo, sendo 11 por arma de fogo, um por arma branca e um por espancamento. O balanço é completado com quatro mortes causadas por afogamento, três por acidente de trânsito, uma por queda da própria altura e duas por causa indeterminada.

Ao todo, foram 10 mortes violentas ocorridas em Aracaju e duas em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). Um dos casos de maior destaque foi o de Walter José de Oliveira Filho, 53 anos, que foi morto na própria casa, na rua Rio Grande do Sul, bairro Siqueira Campos (zona oeste), ao fim da noite de domingo. Ele levou seis tiros de revólver enquanto assistia televisão, no sofá da sala. Segundo informações da Polícia Militar, o principal suspeito do crime é um irmão da vítima, que seria portador de problemas mentais e não foi encontrado no local após o incidente.

No final da madrugada de domingo, dois jovens de 23 anos também foram assassinados no bairro Palestina (zona norte): Leonardo Aquino Frakim e Adriano Lima dos Santos. As primeiras informações da polícia apontam que eles participavam de uma confraternização da vizinhança pela passagem do Ano Novo, quando desconhecidos passaram pelo local e fizeram vários disparos. Leonardo morreu antes da chegada do socorro médico e Adriano chegou a ser levado de carro ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde faleceu. A autoria das mortes é desconhecida e elas são investigadas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Entre os crimes do interior, o de maior destaque foi o assassinato da dona de casa Gidelma Vieira Nunes, 47 anos, que foi esfaqueada dentro da própria casa, horas antes da passagem de ano, no povoado Guidinha, em Areia Branca (Agreste). A polícia acredita que houve crime passional e o principal suspeito é o próprio companheiro da vítima que também está foragido. Ao todo, foram 12 mortes violentas ocorridas no interior, ocorridas nas cidades de Areia Branca, Itabaiana, Itaporanga D’Ajuda, Japaratuba, Santana do São Francisco, Pirambu, Lagarto, Indiaroba e Tomar do Geru. Houve ainda o caso de um homem de 23 anos, vítima de acidente de moto, que morreu no Huse, em Aracaju, mas foi trazido da cidade de Olho D’Água Grande (AL), próxima a Propriá (Baixo São Francisco).

Já sobre os afogamentos, um deles aconteceu na Praia de Atalaia (zona sul), onde o adolescente Thiago Roberto Costa Santana, 15, se afogou na manhã de domingo, enquanto tomava um banho de mar. Ele chegou a ser resgatado por banhistas e salva-vidas do Corpo de Bombeiros, mas acabou falecendo. A área da Orla de Atalaia, entre a Coroa do Meio e os Arcos da Orla, é considerada muito perigosa pelos bombeiros, pelo fato de ser uma área de foz do Rio Sergipe e de o leito do oceano ter fossos de até 20 metros de profundidade.

A outra vítima de afogamento, um homem não identificado, foi resgatada em local não revelado e estava internada no Huse. A terceira vítima foi Manoel Messias de Souza, 57, que se afogou no povoado Olhos D’ Água, em Lagarto (Centro-Sul). E no sábado, em Tobias Barreto, a menina Rizya Mariana Petronilo da Silva Santos, de seis anos, se afogou em uma piscina e morreu enquanto era atendida no hospital da cidade.