Busca por uma vaga em creche pública mobiliza centenas de pais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/01/2017 às 00:33:00

Início de ano marcado por contratempos e ansiedade para dezenas de pais, ou demais responsáveis, por crianças de até três anos de idade que dependem de vagas em creches públicas administradas pela Prefeitura de Aracaju. Conforme previsto pela Secretaria Municipal de Educação, as matriculas estão disponíveis a partir das 7h de hoje, mas devido à concorrência representativa nestas unidades, dezenas de pessoas estão acampadas em frente às instituições desde a tarde da última segunda-feira, 02. Este tipo de situação é visível, por exemplo, na Creche Maria Givalda da Silva Santos, instalada no bairro Soledade, zona Norte da capital sergipana. A unidade dispõe de 150 vagas.

Na tentativa de minimizar as dificuldades deparadas na hora de conquistar a matricula dos filhos durante o período letivo de 2017, um grupo de populares decidiu por conta própria criar uma lista de pessoas presentes na fila de espera. A medida tem como foco convencer os gestores municipais a distribuir as senhas previstas para serem entregues hoje preferencialmente àqueles que se dispuseram a integrar com antecedência a ala de pais interessados em garantir a vaga. Apesar do pleito, a direção oficializou já na manhã de ontem que não poderia atender por entender que a entrega de senhas estava prevista para hoje.

Caso a proposta fosse aceita, poderia gerar entre os demais pais a sensação de reserva antecipada de vagas e favorecimento para as pessoas que decidiram formar a fila antecipadamente por conta própria, sem nenhuma orientação dos coordenadores e diretores educacionais. Sobre a formação da fila na área externa das instituições, a Educação municipal informa que todas as unidades estão buscando colaborar o possível com o fornecimento de conforto. Na Creche Maria Givalda, por exemplo, a direção optou por abrir os portões da entrada principal e permitir que os populares se aglomerassem em áreas cobertas. A medida teve como propósito evitar que as pessoas enfrentassem a garoa comum durante as madrugadas.

“A sorte da gente é que pelo menos os funcionários deixaram a gente entrar e se instalar aqui dentro, mas não aguentamos mais o sofrimento e por isso pedimos que a diretora aceitasse a nossa lista. Assim a gente poderia voltar para casa e retornar nesta quarta apenas para pegar a senha da matrícula. Infelizmente todos os anos são assim e nós pedimos que isso seja mudado para que ninguém mais seja obrigado a passar por esse desgaste”, declarou Maria Júlia dos Santos, mãe de dois filhos de idades aptas a conquistar o espaço na creche. Ao Jornal do Dia, a depoente criticou o sistema e concluiu dizendo:

“Infelizmente nenhum político precisa enfrentar esse tipo de humilhação. Passar a madrugada aqui não é nada fácil e pedimos mudanças para o próximo ano. O menos pior disso tudo é que os funcionários da creche entendem o nosso lado e tentam ajudar a gente sempre”. Diante da busca pelas senhas, a perspectiva por parte da PMA é que todas as vagas sejam ocupadas ainda no dia de hoje, ou até amanhã. Outras unidades municipais possuem calendário de matriculas diferenciado e seguem ofertando oportunidade de estudo integral e gratuita para os dois semestres letivos deste ano. (Milton Alves Júnior)