Tiro acidental mata filho de policial sergipano em Pernambuco

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/01/2017 às 00:14:00

Um acidente doméstico ocorrido na tarde desta quinta-feira em Sertânia (PE) terminou em tragédia para a família de um agente da Polícia Civil sergipana. O filho dele, um menino de quatro anos de idade, morreu depois de mexer com a arma do pai, uma pistola calibre .40, e atirar contra a própria cabeça. O episódio aconteceu enquanto os pais estavam em casa e, segundo a Polícia Militar de Pernambuco, se deu “em um momento de descuido dos familiares”. A pistola pertence à Secretaria da Segurança Pública (SSP/SE) e foi apreendida após ser entregue às autoridades pelo avô do menino.

A SSP sergipana confirmou que o policial é lotado na Delegacia de Porto da Folha (Sertão), se formou na última turma de agentes e escrivães da Academia de Polícia Civil (Acadepol) e estava de folga, visitando familiares no sertão pernambucano. O relato de parentes é de que o agente deixou a arma no quarto, em cima de um guarda-roupa e foi se sentar na sala com a esposa e outros parentes. Em certo momento, o menino entrou no quarto e conseguiu escalar o armário após subir em um banquinho. “A criança, brincando, foi e encontrou essa arma. Ele ficou manuseando, mexendo, aí a arma disparou e o tiro pegou no rosto dele”, confirmou o tio do menino, Everaldo Gondim, em entrevista à Rádio Jornal, de Pernambuco.

A criança foi imediatamente socorrida pelos pais e levada às pressas para o Hospital Lídio Paraíba, na cidade de Pesqueira, mas morreu enquanto os médicos tentavam reanimá-lo. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Caruaru e enviado novamente para Sertânia, onde aconteceram o velório e o enterro. A cidade ficou abalada com a tragédia. “Ele era uma criança muito boa, muito querida, mas muito esperta. Infelizmente, mexeu com uma coisa que não devia. Isso aí é um exemplo para outros pais terem mais cuidado com esse tipo de manuseio e evitar qualquer descuido com essas armas”, completou Everaldo. 

De acordo com a SSP de Sergipe, a Delegacia Geral de Polícia “determinou total apoio ao agente”, que está em estado de choque. O caso é acompanhado diretamente pelo delegado de Porto da Folha, Alexandre Filipe, que viajou ontem até Sertânia para prestar apoio ao policial e ajudar na condução do inquérito instaurado pela polícia pernambucana sobre o incidente. A investigação ficará a cargo da 19ª Delegacia Seccional de Polícia, em Arcoverde, vizinha a Sertânia. (Gabriel Damásio)

-