1ª SEMANA: Edvaldo paga 13º salário e retoma serviços de Saúde e Limpeza de Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/01/2017 às 07:52:00

O saldo da primeira semana de gestão do prefeito Edvaldo Nogueira é positivo. Como medida principal, já no terceiro dia da administração, ele pagou o 13º salário de 87% dos servidores (todos os ativos e maior parte dos inativos). Esta ação então teve como consequência um benefício direto para a população: o fim da greve da Saúde. Nesta segunda-feira, 9, com o retorno dos médicos aos trabalho, as unidades básicas de Saúde e as Unidades de Pronto-Atendimento estarão com o seu funcionamento regularizado. Além disso, o novo governo municipal já colocou mais agentes de limpeza nas ruas e retomou serviços de drenagem, atuando assim sobre uma questão que foi abandonada pelo ex-prefeito.

O pagamento do 13º salário foi definido pelo próprio Edvaldo Nogueira como uma “comprovação de que ele priorizará os servidores”. A afirmação do novo prefeito foi feita na presença dos próprios servidores, uma vez que o gestor recebeu apenas em uma semana 11 categorias de trabalhadores municipais para dialogar. Neste grupo estão todos os servidores da Saúde, incluindo médicos, enfermeiros, nutricionistas e demais funcionários da área, o que também “comprova”, como ele ressaltou, que fará “tudo o que for preciso” para melhorar a rede municipal da saúde.

Por falar em Saúde, na última quinta-feira, 5, Edvaldo aproveitou a visita do ministro Ricardo Barros a Sergipe para cobrar dele a recomposição de R$ 27 milhões para Aracaju. Neste montante de dinheiro, que João Alves Filho negligenciou, há verba para a construção da maternidade do bairro 17 de Março, para a contratação de 12 equipes de Saúde da Família, para informatização da rede, além de recursos para realização de consultas e exames da média e alta complexidade e para diversos programas como Academia da Cidade, Saúde do Homem, Melhor em Casa, Telessaúde e para a Rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência.

 

Diálogo - Ainda falando da Saúde, Edvaldo recebeu na prefeitura no segundo dia do seu governo, 10 categorias de servidores da área, quando anunciou que pagaria o 13º salário deixado pelo prefeito anterior. “Não é uma atitude simples o que estamos fazendo já no segundo dia da nossa gestão. Fizemos um grande esforço e sacrifício e tudo que era possível”, disse ele. Tanto o pagamento do benefício como o fato de Edvaldo ter sentado para conversar com os sindicatos foi elogiado peloS servidores.

“O prefeito passado nunca se reuniu com os sindicatos. E hoje essa abertura de diálogo acalma os trabalhadores e abre um canal de negociação e diálogo saudável. No segundo dia em que ele colocou os pés na prefeitura e ainda está se apropriando da situação já abrir o diálogo de forma franca e dar a garantia do pagamento do décimo terceiro é motivo de imensa satisfação", afirmou Shirley Morales, presidente do Sindicato dos Enfermeiros.

Dois dias depois foi a vez dos médicos serem recebidos por Edvaldo em seu gabinete. Por mais de duas horas, o prefeito conversou com os representantes dos médicos e abriu assim uma porta de negociação que envolveu o pagamento dos salários e outras demandas relacionadas às condições de trabalho da categoria. "O prefeito e sua equipe demonstraram respeito à categoria. Foi uma reunião proveitosa. Tratamos da questão salarial e de outros âmbitos de interesse dos profissionais. A gente avalia como positivo este encontro pelo fato de o prefeito ter recebido a nossa categoria em específico", afirmou João Augusto Oliveira, presidente do Sindicato dos Médicos.

Com o pagamento do 13º salário e com a abertura do diálogo com os servidores, as greves da Saúde - que haviam iniciado no governo passado - chegaram ao fim. Na última quinta-feira (5), 80% dos serviços das áreas produtivas (aferição de pressão arterial e glicemia, vacinas, curativos, aplicação de aerossol, teste do pezinho e distribuição de medicação) das unidades já estavam em pleno funcionamento. Com o fim da paralisação dos médicos, todo o atendimento será restabelecido na segunda-feira (9).

 

Limpeza - O início da gestão de Edvaldo Nogueira foi também de retomada dos serviços de coleta e limpeza urbana. Por determinação do prefeito, a Empresa de Serviços Urbanos (Emsurb), mobilizou na quinta-feirA, 5, mais de quinhentos agentes para realizar serviços de varrição, roçagem, plantio de mudas, gadanhamento, pintura de guias, limpeza de praças e feiras livres e recolhimentos de lixo e entulho. O objetivo é manter a cidade cada dia mais limpa, de forma integral.

Também foram reiniciados serviços de drenagem, através da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb). Problemas pontuais já começaram a ser resolvidos. Mesmo com equipes pequenas, a Diretoria de Operações trabalhou nas galerias pluviais dos bairros e realizou a limpeza e desobstrução das manilhas. em ruas dos bairros Bugio, Grageru e Cidade Nova.

 

Secretariado - Ao final da semana, na sexta-feira, 7, Edvaldo reuniu todo o secretariado. O encontro serviu para fazer um balanço da situação de cada pasta e discutir medidas para o enfrentamento da crise financeira. De acordo com o gestor municipal, a partir do levantamento da equipe econômica, a dívida deixada pela administração anterior é de R$ 531 milhões. Ficou estabelecido na reunião que, na próxima segunda-feira, 9, às 8h, no Centro Administrativo, o prefeito anunciará, em coletiva de imprensa, o diagnóstico da situação da administração, levantado pela equipe de transição, e anunciará as medidas de ajustes administrativos e econômicos.

Aos seus auxiliares, Edvaldo Nogueira apresentou as diretrizes da gestão: Agir com criatividade e capacidade de se reinventar, dialogar, ir para as ruas e mostrar serviço, unificar a Ação da Gestão para os Objetivos e Projetar o Futuro. Para Edvaldo, a reunião desta sexta-feira foi "fundamental" para unificar o secretariado, definir metas prioritárias, estabelecer as medidas de contenção de gastos e determinar que a equipe adote ações efetivas de economia.

Edvaldo sec