Cristiano quer a Sejuc como 'extensão' da SSP

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/01/2017 às 09:23:00

Gabriel Damásio

O novo secretário estadual de Justiça, Cristiano Barreto Guimarães, assumiu o cargo no final da manhã de ontem, durante concorrida solenidade no terceiro andar do Palácio de Despachos, Distrito Industrial (zona sul de Aracaju). Em seu primeiro discurso, ele deixou claro uma nova diretriz para o sistema penitenciário: integração das ações da Sejuc às da Segurança Pública (SSP), com o objetivo de reorganizar os presídios e neutralizar a ação de facções criminosas instaladas nas cadeias. “De agora em diante, asseguro que a Secretaria de Justiça será uma extensão da Segurança Pública. E tenho certeza, João Batista, que vice-versa”, disse ele, sob aplausos e dirigindo ao secretário da SSP, João Batista Santos Júnior.

A posse acontece após a revelação de que Sergipe foi considerado pela área de inteligência do Governo Federal como um dos estados com “risco iminente” de rebeliões e confrontos entre os presos, devido à superlotação e a infiltração de facções de outros estados. “Apesar de todos os estudos existentes e todas as informações em nível de Brasil, não se tem um mapeamento. Precisamos fazer um trabalho de inteligência dentro do sistema prisional, um trabalho constante de integração com os órgãos de inteligência da Polícia Civil, da Federal, de todos os órgãos, para que possamos fazer um mapeamento completo da população carcerária e de todos os que estão lá dentro. As medidas que forem necessárias para trazer equilíbrio e garantia de segurança à sociedade serão adotadas”, garantiu Barreto, que era diretor da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial Civil (Dipol).

As autoridades presentes também fizeram referências aos massacres ocorridos em presídios de Roraima e Amazonas, como exemplo da situação grave que envolve o sistema carcerário brasileiro – e que deve ser evitada em Sergipe. “Nós procuramos o homem certo, no lugar certo e na hora certa. O doutor Cristiano, com a sua formação de delegado de polícia e homem da inteligência da polícia, é a pessoa certa nesse momento quando o sistema prisional do país passa por uma crise muito grande e aqui em Sergipe não é diferente. Doutor Cristiano, como homem da inteligência, é quem poderá informar a nós, de forma mais profunda, o que está acontecendo em nossos presídios e se há ou não interferência dessas facções”, declara o governador Jackson Barreto (PMDB).

 

Mais vagas – Durante a posse do novo secretário, Jackson confirmou que o Ministério da Justiça repassou, ao Estado de Sergipe, R$ 44 milhões em recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). O dinheiro, recebido pelo governo na semana retrasada, será investido na construção e estruturação de duas novas penitenciárias em Areia Branca (Agreste), sendo uma com 500 vagas para o regime fechado e outra com mais 500 vagas para a reativação do regime semiaberto, que deixou de funcionar após o fechamento da Penitenciária Estadual de Areia Branca (Peab).

O governador anunciou ainda que, até fevereiro, irá concluir a alocação de pessoal e equipamentos para a Cadeia Pública local (Cadeião de Areia Branca), cujas obras já foram concluídas e que abrirá outras 500 vagas. Ao anunciar as medidas, ele citou que elas “cumprem compromissos assumidos” com representantes dos magistrados e do Ministério Público, que têm cobrado providências para reduzir a superlotação carcerária e combater o aumento da criminalidade. “Agora nós já temos os recursos e vamos começar a trabalhar”, resumiu Jackson.