Incêndio destrói loja do Makro na Tancredo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto





Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/01/2017 às 00:23:00

Gabriel Damásio

 

A loja da rede atacadista Makro, na Avenida Tancredo Neves, bairro Jabotiana (zona oeste de Aracaju) foi destruída por um incêndio ocorrido ao final da tarde de ontem. O fogo começou por volta das 17h30, quando cerca de 80 clientes e funcionários começaram a ouvir estalos e estouros vindos da parte superior do supermercado. Rapidamente, as chamas começaram a se espalhar e todos foram orientados a deixar o local imediatamente. Testemunhas relataram que houve pânico entre os presentes e algumas pessoas chegaram a cair na correria, mas sem gravidade. Uma equipe da brigada de incêndio do Makro tentou controlar as chamas, mas não conseguiu.

O Corpo de Bombeiros foi logo chamado pelos que estavam no supermercado e, em 14 minutos, enviou sete equipes ao local, com 25 soldados, seis viaturas de combate a incêndio e uma de resgate. Foram mobilizadas equipes do Quartel do Comando Geral (Centro), do Posto Avançado da Orla de Atalaia e do grupamento de Nossa Senhora do Socorro. Ao longo de uma hora, o número de militares envolvidos na ocorrência dobrou – incluindo soldados que estavam de folga. Apesar dos esforços e de o incêndio ser considerado de médio porte, todo o prédio do Makro, suas mercadorias e seus equipamentos foram arrasados pelo fogo em menos de uma hora. O fogo foi controlado por volta das 19h30.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o trabalho inicial foi para resfriar as edificações vizinhas a fim de evitar que o fogo não se alastrasse para áreas residenciais e estabelecimentos comerciais. Os bombeiros fizeram uma contenção para evitar que as labaredas remanescentes e o calor atingissem a área da cozinha do estabelecimento comercial, onde há cilindros de gás natural. Um caminhão dos Bombeiros que armazena 40 mil litros de água foi levado para o local e usado no combate ao incêndio. Além de muita água, uma espuma química retardante, usada para suprimir as labaredas, ajudou a esfriar e cobrir os cilindros de gás, prevenindo o contato com o oxigênio e possíveis explosões.

Até o fechamento desta edição, não havia informações sobre vítimas. As autoridades informaram que todas as pessoas foram retiradas a tempo do supermercado. Mesmo assim, equipes do Serviço Municipal de Atendimento de Urgência (Samu) foram posicionadas perto do local do incêndio. Já o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) colocou em alerta o pronto-socorro e a Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ).

Viaturas da Polícia Militar foram acionadas para ajudar no isolamento do entorno do Makro e na evacuação das casas vizinhas. A maior preocupação foi com os moradores de um condomínio vizinho ao atacado, afetado pela grande coluna de fumaça que se formou e podia ser vista de vários pontos da capital. Um depósito de combustível situado próximo à loja também foi isolado e a Avenida Tancredo Neves foi parcialmente interditada, tendo seu tráfego desviado. Algumas explosões vindas da loja também assustaram a vizinhança. Apesar do medo da população, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Eduardo Carlos Pereira, garantiu não haver riscos de que os imóveis vizinhos fossem atingidos pelo fogo.

A suspeita inicial é de que o corpo tenha sido causado por problemas em um equipamento do setor de frios da loja, mas apenas um laudo técnico poderá constatar qual a causa do incêndio. Hoje, uma equipe do Corpo de Bombeiros começará as perícias para a elaboração do parecer técnico. Os prejuízos causados pelo fogo ainda serão contabilizados. A direção da Makro Atacadista, pertencente ao grupo holandês SHV, deve se manifestar hoje sobre o incidente ocorrido em Aracaju.