Corpo com marcas de tortura é achado em carro abandonado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/01/2017 às 00:26:00

A descoberta de um carro abandonado ontem de manhã no Loteamento Marivan, bairro Santa Maria (zona sul), um assassinato cometido com requintes de crueldade. O corpo de um rapaz, posteriormente identificado como Carlos Alexandro de Souza Matos, 30 anos, foi encontrado no banco de trás de um Ford Fiesta com placas JPN-2581/SE. Ele apresentava muitas marcas de agressões e de facadas pelo corpo, principalmente cortes feitos na altura das pernas, como se os joelhos tivessem sido arrancados.

O veículo estava junto a um descampado próximo à Avenida Alexandro Alcino, com as portas abertas e sem nenhum sinal de identificação. Ele foi visto ao amanhecer do dia por moradores, que acharam o cadáver e chamaram a polícia. O local foi isolado para o trabalho de peritos do Instituto de Criminalística e agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que colheram pistas e vestígios antes do recolhimento do corpo. Alguns curiosos compareceram ao local, mas não deram informações aos policiais. Após a identificação do corpo no Instituto Médico Legal (IML), familiares informaram que Alexandro era morador do conjunto Augusto Franco, e estava aguardando a convocação para o curso de formação da Polícia Militar da Bahia, na qual fora aprovado em concurso recente.

Os parentes dizem não saber o que pode ter motivado o crime e relataram que ficaram chocados ao ouvir a notícia do assassinato em uma emissora de rádio, principalmente pela descrição do estado do cadáver. Para a polícia, ele indica que o rapaz teria sido torturado antes de morrer. Outra suspeita é de que o assassinato teria ocorrido em outro local da cidade, tendo os assassinos se dirigido ao Marivan apenas para abandonar o carro e o corpo. O Fiesta, que pertence à mãe da vítima, foi recolhido para novas análises periciais. O caso é apurado pela 3ª Divisão do DHPP.