Polícia detalha ação contra grupo que matou agente

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/01/2017 às 00:14:00

A Polícia Civil detalhou na manhã de ontem a operação que culminou na prisão de dois acusados pelo contra o policial civil José Fernando Vieira Dias, 63 anos, e a comerciante Maria José Silva de Freitas, 41, em crime ocorrido no último dia 8, em um bar na Praia do Abaís, em Estância (Sul). Durante buscas feitas na madrugada deste sábado, foram presos David dos Anjos Reis, 21, e o ex-presidiário José Damião dos Santos, o ‘Galego’. Outros dois suspeitos, um adolescente de 17 anos, e o ex-presidiário Emídio Tiago dos Santos Vidal, o “Paiaiá”, apontado como principal autor do crime, morreram após confrontos com a polícia.

O delegado André David, do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), detalhou a identificação dos quatro acusados, a partir da investigação sobre como aconteceu a entrada dos bandidos no bar. “Três indivíduos invadiram o bar na praia do Abaís. Na ação, dois criminosos renderam o policial e a proprietária do estabelecimento, que conversavam em uma mesa; já o terceiro acusado rendeu o marido da comerciante, no momento em que ele fechava o local para ir embora. Diante da ação violenta, o policial civil agiu sacando sua arma e disparou contra os criminosos, atingindo o David na altura do abdômen e braço. Na troca de tiros, o policial foi alvejado pelo adolescente e teve sua arma subtraída por um dos homens. O outro assaltante [‘Paiaiá’], articulador do crime, tomou a arma do agente e atirou contra as vítimas. Os três fugiram em direção à pista, onde havia o quarto comparsa, os aguardando com um automóvel Fiat Uno, de cor verde escura”, disse ele.

André avaliou que os quatro homens agiram de forma “covarde e muito violenta”, tendo planejado o assalto com o mesmo modo de outros assaltos ocorridos na região de Estância. David destacou principalmente a ação de ‘Paiaiá’, que já era conhecido por assaltos em casas de veraneio na região e chegou a ser preso em 2014 na zona de expansão de Aracaju. Entre os detalhes que ajudaram a polícia no caso, estão as manchas de sangue do criminoso atingido (David) e o par de sandálias abandonado por ele.

Segundo a polícia, David havia dado entrada no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), em Aracaju, ferido por arma de fogo apenas duas horas após o fato. “Ele alegou ter sido vítima de tiros após reagir a um assalto na porta de sua casa, no bairro Santa Maria, porém não havia registro da ocorrência. Após a comparação do material genético dele com as marcas de sangue no local do crime, e do depoimento da mãe, que confirmou ser de David o par de sandálias, não houve dúvidas da sua participação no crime”, salientou o delegado. Durante o depoimento, Damião ‘Galego’ confessou o crime e revelou a participação dos outros indivíduos.

Com essa informação, as equipes do Cope e da Delegacia Regional de Estância seguiram então para a casa onde ‘Paiaiá’ estaria escondido, na zona rural de Itaporanga D’ajuda. Segundo o delegado, o criminoso saiu atirando em direção aos policiais que cercavam a casa, atingindo o pneu e a porta da viatura do Cope. As equipes reagiram e acertaram Emídio, que chegou morto ao hospital. No local, foi encontrada uma moto roubada e a pistola calibre .40 do policial Fernando, arma que utilizou para atirar contra a equipe do Cope. O mesmo ocorreu na casa do adolescente de 17 anos, que respondeu à chegada dos policiais a tiros e também morreu baleado. Em seu poder, além do revólver usado contra a polícia, foram apreendidos dois tabletes de maconha prensada. (com SSP)