Crise no Hospital Cirurgia se agrava e greve de funcionários continua

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/01/2017 às 00:10:00

Milton Alves Júnior

Já passa de 80 o número de cirurgias suspensas na Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia. Em greve desde o início deste mês, funcionários da segunda maior unidade hospitalar atendente ao Sistema Único de Saúde (SUS) seguem pleiteando o pagamento da gratificação natalina que tem 29 dias de atraso. Diante do impasse financeiro, a direção do HC promete quitar os débitos imediatamente assim que a Prefeitura de Aracaju quitar, ou repassar parte da dívida que hoje está avaliada em 5,5 milhões de reais. Os servidores alegam ainda que cerca de 100 profissionais aposentados foram dispensados e até a noite de ontem não haviam recebido os direitos trabalhistas.

Por entender que a direção da unidade aparentemente não se mostra interessada em dialogar com os manifestantes, o Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) tem apoiado a sequência dos atos públicos na tentativa de pressionar os gestores e acelerar o pagamento dos benefícios garantidos pela Constituição Federal. Depois de a categoria deflagrar a paralisação, esta semana a PMA conseguiu repassar um montante em torno de R$ 3 milhões, oriundos de verba do Governo Federal; esse repasse foi suficiente para quitar o pagamento salarial referente ao mês de dezembro, que também seguia em atraso. A dívida deixada pelo ex-prefeito João Alves Filho foi de R$ 8,5 milhões.

De acordo com Cícero de Souza, representante dos trabalhadores, é inadmissível que a falta de informações referentes ao pleito dos servidores continue angustiando as famílias e usuários do sistema de saúde. Ainda de acordo com o sindicalista, é possível que a greve geral siga por tempo indeterminado caso as reivindicações sigam indisponíveis aos profissionais. “Não podemos mais sustentar o trabalho da gente enquanto a direção do hospital sequer chega para conversar com a gente e apresenta uma data fixa para pagar o décimo. Estamos sem notícias nenhuma. Independente do prefeito administrador, nós não aceitaremos mais atrasos no pagamento salarial e dos demais direitos”, disse.

Paralelo à greve dos servidores, os anestesiologistas ligados à Coopanest – grupo que coordena os procedimentos anestesiológico do HC -, por falta de dinheiro, também decidiram suspender as atividades. A medida foi aprovada pelos profissionais na última segunda-feira, 16, durante reunião extraordinária. A crise administrativa enfrentada pelo Hospital de Cirurgia tem sido apresentada com frequência pelo Jornal do Dia; durante este período de atendimento indisponível aos contribuintes, a Unidade Vascular (UVA) também apresenta uma redução de até 35 procedimentos diários. O Sintasa solicita apoio por parte dos ministérios públicos, Estadual e do Trabalho, além do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, para que co laborem na luta pelo 13º.

Segundo esclarecimento contábil apresentado pela Assessoria de Comunicação do HC: “o valor que entrou só deu para pagar o salário dos médicos referente a novembro e o dos funcionários referente a dezembro. Vale ressaltar que mesmo com o recebimento desse valor, ainda não foi possível efetuar o pagamento do 13º salário dos funcionários. Já os profissionais médicos estão recebendo os vencimentos relativos ao mês de novembro”. A Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz) pretende realizar um novo repasse até a próxima sexta-feira, 20. O depósito na conta dos trabalhadores pode ocorrer ainda durante o final de semana.

-