Força Nacional chega em fevereiro com 120 homens

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/01/2017 às 00:22:00

O Ministério da Justiça confirmou ontem à tarde que 120 soldados da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) serão enviados em Aracaju entre os dias 13 a 17 de fevereiro. Os detalhes foram confirmados ontem à tarde, em Brasília (DF), durante uma reunião do ministro Alexandre de Moraes com os secretários Cristiano Barreto (Justiça) e João Batista Santos Júnior (Segurança Pública), com a participação do secretário Nacional de Segurança Pública, Celso Perioli, e de representantes dos estados do Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul. O encontro foi para definir a aplicação inicial do Plano Nacional de Segurança Pública, que terá Aracaju como uma das primeiras cidades a recebê-lo.

Segundo informações da SSP, as equipes da Força Nacional virão com viaturas, armamentos e equipamentos próprios do Governo Federal, tendo o seu planejamento operacional coordenado pela SSP sergipana, com equipes mistas da Força Nacional e das polícias Civil e Militar. A atuação deve acontecer principalmente em locais da Grande Aracaju que concentram o maior número de crimes, conforme as estatísticas da polícia. Na aplicação do Plano, ainda estão previstas ações de enfrentamento ao feminicídio (assassinato de mulheres), homicídios contra a população negra. E haverá ainda ações integradas com as polícias Federal e Rodoviária Federal (PRF).

A discussão sobre a vinda da Força Nacional a Sergipe começou em meados de novembro passado, quando secretários do Ministério da Justiça estiveram em Aracaju e participaram de uma série de reuniões com as cúpulas da SSP e da Sejuc. Ali, confirmou-se que a Força nacional deve atuar tanto no policiamento ostensivo de rua como no reforço às investigações de inquéritos em andamento. “Desde novembro estamos prontos. Alinhamos uma discussão permanente com diversas Secretarias do Ministério da Justiça e todos os esforços serão importantes para combater a criminalidade em nosso estado”, afirmou João Batista.

 

Presídios – No que se refere ao sistema penitenciário, como parte do Plano, ficou decidida  a liberação de investimentos em kits antitumulto, equipamentos para transporte de presos, aquisição e doação de equipamentos para fiscalização eletrônica e investimento para a construção de presídios. Cristiano Barreto reivindicou a liberação de aproximadamente R$ 4 milhões para a complementação de recursos. “É preciso descongestionar a aplicação das verbas do Fundo Penitenciário Nacional para o reaparelhamento dos presídios em Sergipe e nos demais estados”, ponderou o secretário de Justiça.

Uma das propostas apresentadas em uma segunda reunião, com a participação do ministro e dos secretários de todos os 27 estados, é a instalação de bloqueadores de sinais de celular em todas as unidades prisionais do país, com o objetivo de quebrar a comunicação e a articulação entre integrantes de facções criminosas instaladas dentro das cadeias. Neste sentido, de acordo com Barreto, há a necessidade de instalação de quatro bloqueadores em Sergipe. O ministro anunciou o repasse imediato aos estados de R$ 295,4 milhões para a aquisição de bloqueadores de celular, scanners corporais e tornozeleiras eletrônicas.

Ficou decidida também a instalação de 27 Núcleos de Inteligência Policial (NIPOs) em cada estado, integrando as equipes que já atuam na polícia e implantando grupos de inteligência nos sistemas prisionais, além da abertura de novas vagas em presídios em modelos de alas e prédios modulares.