Bancários protestam contra fechamento de agência do BNB

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/01/2017 às 00:41:00

Milton Alves Júnior

Servidores bancários ligados ao Banco do Nordeste Brasileiro (BNB) se mobilizaram na manhã de ontem para contestar e protestar contra a reforma administrativa imposta neste início de ano pela direção nacional. O ato público foi promovido no município de Itabaiana onde a agência Luiz Magalhães que possui mais de 250 clientes será fechada nos próximos meses. Conforme o Sindicato dos Bancários do Estado de Sergipe (SEEB), a perspectiva da instituição é que mais 18 unidades bancárias fechem as portas no Nordeste em curto prazo. A categoria repudia veemente a decisão superior e teme a promoção de desemprego imediato dos servidores.

O BNB afirmou que a medida alinha-se às demandas e desafios apresentados pelos clientes, investidores e sociedade, e ocorre como resposta a um cenário cada vez mais desafiador, no qual se exige a melhoria contínua da produtividade e da eficiência das instituições. A nota esclarece ainda que o atendimento aos clientes será preservado, inclusive com o fortalecimento das demais unidades de cada praça com a redistribuição das equipes das unidades que forem desmobilizadas. O grupo bancário não informou a data em que cada unidade encerrará as atividades de forma definitiva.

A presidente do Seeb Ivânia Pereira lamentou que a realidade atual fuja integralmente de todos os aspectos relatados na nota. A sindicalista entende que, com a promoção desse fechamento, os clientes serão prejudicados integralmente assim como todos os funcionários que atuam na agência Luiz Magalhães. Na tentativa de conseguir reverter a proposta do Banco do Nordeste, os sindicatos estão se unificando a fim de intensificar as manifestações e contar, inclusive, com o apoio dos clientes prejudicados. A proposta do SEEB é organizar novas manifestações já na próxima semana e divulgar de forma antecipada.

 “Precisamos do apoio dos clientes porque eles vão enfrentar problemas maiores quando necessitarem seguir a uma agência. Se a falta de mais funcionários já causa demora e filas nos atendimentos, imaginem uma cidade importante e populosa como é Itabaiana com uma agência a menos. O cliente não deve passar por isso, tampouco os servidores que já sentem os efeitos negativos dessa decisão preocupante”, avaliou.

 “O banco afirma que está readequando sua rede de agências, com base em critérios específicos, quais sejam preservação da presença do banco em sua área de atuação; manutenção e ampliação da qualidade de atendimento aos clientes, manutenção das agências pioneiras no interior e revisão de sua rede de agências nas capitais e em cidades de médio porte que tenham mais de uma unidade”, comunicou.