29 motos são furtadas da SMTT de São Cristóvão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/01/2017 às 00:07:00

Gabriel Damásio

 

A Prefeitura de São Cristóvão (Grande Aracaju) confirmou ontem o furto de 29 motocicletas que estavam guardadas no pátio da sede da Secretaria Municipal de Transporte e Transito (SMTT), situada na Subprefeitura do Conjunto Eduardo Gomes. As circunstâncias do crime ainda são desconhecidas, mas a suspeita das autoridades é de que a invasão aconteceu no começo da tarde deste domingo após os desconhecidos arrebentaram os cadeados de dois portões que dão acesso ao local.

A invasão foi constatada às 6h30 de ontem, quando os funcionários chegavam para o expediente. “A gente tem informações de que no domingo, por volta do meio-dia, dois elementos saíram de dentro da SMTT com duas motocicletas que estavam com os pneus murchos. E hoje [ontem] de manhã, nosso funcionário viu que os dois portões estavam abertos e com os cadeados arrebentados. Ele deu por falta de algumas motocicletas e também de um computador e uma impressora que estavam no local”, informou o secretário responsável pelo órgão, capitão José Luiz Ferreira.

O expediente na repartição foi suspenso por todo o dia, pois uma equipe de peritos do Instituto de Criminalística realizou uma perícia detalhada em toda a área do pátio, afim de colher vestígios que possam ajudar na identificação dos invasores. Representantes da secretaria também prestaram depoimentos na 6ª Delegacia Metropolitana (6ª DM), no Eduardo Gomes onde o boletim de ocorrência foi registrado. O inquérito será acompanhado pela SMTT e pela assessoria jurídica da Prefeitura sancristovense. Um fator que pode complicar as investigações está na ausência de gravações ou registros sobre a invasão e o furto à Subprefeitura.

O capitão José Luiz admitiu que, atualmente, a sede da SMTT não tem vigilantes e nem câmeras de segurança .”Infelizmente, a gestão anterior fez um contrato da equipe de vigilância através de uma Oscip [Organização da Sociedade Civil de Interesse Público]. Essa Oscip é objeto de investigação e de uma ação civil pública movida pelo Ministério Público, que através de liminar, conseguiu bloquear a Prefeitura para a contratação de qualquer tipo de serviço. Então, a gente tem que resolver primeiro esse problema com a Justiça, pra depois a Prefeitura voltar a contratar e regularizar a vigilância de todo o Município”, disse ele, acrescentando que, por causa do problema com o contrato, todas as repartições municipais de São Cristóvão ficaram sem sistema de vigilância.

Apenas duas das motos furtadas pertenciam ao patrimônio da Prefeitura. As outras foram apreendidas em operações de fiscalização de trânsito realizadas ao longo do tempo pela SMTT de São Cristóvão. Havia uma previsão de que elas fossem colocadas em leilão ainda no começo deste ano e, de acordo com o secretário, os veículos ainda passavam por um processo de catalogação, limpeza e reparos mecânicos. “Essas motocicletas ficaram entulhadas dentro de uma sala e, quando a gente chegou, não tinha nenhum tipo de catálogo destas motocicletas, pra saber qual é o problema de cada uma delas”, lamentou Ferreira. Ele pretende aguardar o resultado das investigações da Polícia Civil e a recuperação das motos furtadas para dar continuidade ao processo de levantamento e leilão dos veículos apreendidos.