Tite já definiu o Brasil para o "Jogo da Amizade

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/01/2017 às 00:59:00

Técnico repete sistema tático da seleção das eliminatóriase confirma Robinho como titular

 

Givaldo Batista

givaldobs@yahoo.com.br

 

No único treino antes do amistoso desta quarta-feira 25, contra a Colômbia, no estádio Nilton Santos, Tite mostrou a equipe titular. Três jogadores farão suas estreias pela seleção brasileira principal: o goleiro Weverton, do Atlético-PR, campeão olímpico, o zagueiro Geromel, do Grêmio, que não entrou em campo quando foi convocado no ano passado e o volante Willian Arão, do Flamengo.

O sistema tático é o mesmo habitualmente usado pelas equipes de Tite, o 4-1-4-1. Depois de um breve aquecimento, o técnico comandou outra atividade bem habitual de seus times, o "treino-fantasma", no qual apenas titulares ficam posicionados em campo, com movimentações que serão aplicadas durante a partida.

Enquanto isso, os goleiros Muralha e Danilo Fernandes e os demais reservas trabalharam num curto espaço de campo. A formação suplente tem Marcos Rocha, Vitor Hugo, Luan Garcia e Jorge; Henrique; Rodriguinho, Diego, Gustavo Scarpa e Camilo; Luan. Na parte final do treino, eles também foram submetidos ao treino-fantasma, enquanto Robinho e Diego Souza treinavam cobranças de pênaltis.

O Brasil começará a partida com Weverton, Fagner, Geromel, Rodrigo Caio e Fábio Santos; Walace; Willian Arão, Lucas Lima, Dudu e Robinho; Diego Souza.

Num embate entre os dois times, em campo reduzido, Tite cobrou saída com bola no chão, marcação adiantada e muita compactação. Num dos lances mais aplaudidos, o volante Walace roubou a bola no ataque, girou e fez o gol.

Quem esperava ver uma reedição da dupla Diego, hoje no Flamengo e Robinho, hoje no Atlético-MG, terá que esperar até o primeiro tempo. Isso porque apenas o atacante atleticano foi escalado como titular.

Os dois são amigos desde a época da base no clube paulista, pelo qual foram os grandes nomes da conquista do Brasileirão de 2002, e ainda costumam se encontrar fora de campo. É por isso que a chance de voltarem a tabelar dentro das quatro linhas anima os jogadores.

"É especial. Temos tido vários reencontros fora do futebol - nas férias agora estivemos juntos, com a família -, e reencontrá-lo na seleção brasileira torna esta convocação ainda mais especial", disse o meia Diego ao chegar ao hotel do Rio que serve de concentração para o Brasil.

Entre os jogadores que nunca defenderam a seleção, alguns podem não fazer a tão sonhada estreia. Isso porque, contrariando o pedido de Tite e do técnico colombiano José Pékerman, a FIFA não aceitou liberar as substituições ilimitadas para o amistoso e definiu que serão permitidas apenas seis alterações.