Policial e taxista são tomados como reféns em assaltos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/01/2017 às 00:18:00

Gabriel Damásio

 

Dois assaltos ocorridos na noite desta terça-feira reservaram momentos de muito terror para suas vítimas, que foram tomadas como reféns e ameaçadas de morte pelos criminosos. Um dos casos envolveu um taxista, que foi cercado e roubado após deixar um casal de passageiros na Invasão das Mangabeiras, no bairro 17 de Março (zona sul de Aracaju). O outro teve como vítima um soldado da Polícia Militar, que estava de folga e teve seu carro roubado por três marginais na Atalaia (zona sul). Os dois homens acabaram libertados rapidamente pelos bandidos e não sofreram ferimentos.

No primeiro caso, ocorrido por volta das 18h, o taxista passava por um hotel na Coroa do Meio quando foi parado pelo casal e orientado a levá-los para o antigo Hotel Parque dos Coqueiros. Ao chegar lá, os passageiros pediram à vítima que embarcasse outros dois homens que esperavam por eles. E depois do antigo hotel, eles pediram a corrida até o 17 de Março, onde o assalto aconteceu logo na chegada ao ponto indicado. Segundo a queixa registrada na Delegacia Plantonista Sul, o casal que solicitou a corrida desceu para permitir a entrada de uma segunda dupla de rapazes, sendo que um deles anunciou o assalto, apontando uma pistola contra o taxista.

O condutor foi obrigado a entrar no porta-malas do carro, mesmo implorando para que os criminosos o deixassem ali. Foi quando os outros três bandidos também deixaram suas armas à mostra: duas pistolas oxidadas e uma escopeta caseira. Depois de trancarem o motorista, um dos bandidos assumiu a direção e levou o táxi até um local conhecido como ‘Morro da Terra Dura’, onde o grupo abandonou o carro e fugiu. Ao todo, foram roubados R$ 250 em dinheiro, o aparelho de som do veiculo e uma bermuda. O motorista conseguiu sair do carro um tempo depois e pediu ajuda à polícia.

Já no segundo caso, por volta das 19h30, o policial passava de carro pelo final de linha da Atalaia e parou em frente a uma residência, quando foi rendido pelos marginais e obrigado a ir para o banco de trás, sendo em seguida amarrado nas mãos e nos pés com as próprias roupas. Em seguida, um dos ladrões assumiu a direção e dirigiu por várias ruas dos bairros santa Maria, 17 de março, Aruana, Robalo e Mosqueiro, onde o grupo parou com o refém na frente de um bar que estava fechado. Todo o trajeto durou cerca de duas horas.

Segundo a polícia, o soldado foi ameaçado a todo momento pelos bandidos, que perguntavam a todo momento se ele era, de fato, um policial. Ele sempre negava a afirmação, mas o trio criminoso não se convencia e, sempre ameaçando matá-lo, revirou completamente o carro e a carteira do policial em busca da arma e da carteira funcional da vítima. Elas não foram encontradas e os marginais decidiram fugir, levando o carro e outros pertences. Abandonado no bar, o militar conseguiu soltar as amarras e pedir ajuda em um condomínio. Ele foi socorrido pelos colegas, sem ferimentos, e prestou queixa do crime no início da manhã de ontem. O carro da vítima não foi encontrado.