CTB/SE e CES investem na formação de lideranças sindicais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/01/2017 às 08:09:00

Reforma da Previdência Social, reforma trabalhista e terceirização, fim da CLT e redução dos gastos. Uma onda de projetos lesivos aos trabalhadores, em discussão no Congresso Nacional, pode acabar com direitos previstos na legislação atual. Para a classe trabalhadora, está claro que 2017 será um ano difícil, de luta contra o Governo Temer e a sua política de arrocho salarial, de retirada de direitos e de corte de recursos destinados à Educação e Saúde. E o que fazer diante dessa realidade? Para a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Sergipe (CTB/SE), os trabalhadores rurais e urbanos devem estar preparados para fazer esse enfrentamento.

Com o intuito de capacitar as lideranças sergipanas para esses embates, a CTB/SE, em parceria com o Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES) de São Paulo, promove nos dias 1º e 2 de fevereiro, um Curso de Formação Sindical no Centro de Treinamento Sindical Rural (Centresir) da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetase), em São Cristóvão. “Hoje, os trabalhadores necessitam ter um maior conhecimento, maior habilidade, maior capacidade de responder as exigências do momento. A CTB, enquanto central, investe na formação teórica que, aliada à prática, fortalece a luta dos trabalhadores contra essa ofensiva tão lesiva à classe”, afirma Maria de Lourdes Pereira, diretora da CTB/SE.

Segundo ela, à luz da teoria, os acertos se tornam mais viáveis e fortalecem uma condução mais propositiva na defesa e na conquista dos direitos da classe trabalhadora. “Por isso, a CTB está organizando esse curso de formação com muito cuidado para todos os sindicatos filiados à entidade. O curso será na área de gestão sindical. Nesse primeiro momento, vamos tratar do conhecimento na área de negociação coletiva e da oratória. Como abordar, conversar, dialogar não apenas com o empregador, mas também com a categoria”, enfatiza Lourdes. Outro tema do curso será a história do movimento sindical no Brasil, na América Latina e no mundo. Questões relativas aos trabalhadores no serviço público também serão debatidas em uma mesa redonda.