Quadrilha investigada por tráfico e homicídio é presa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 31/01/2017 às 09:13:00

Uma operação foi deflagrada neste sábado, no bairro Ponto Novo (zona oeste de Aracaju), pelas equipes do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Grupo Especial de Repressão e Buscas (Gerb). Os alvos foram seis acusados de formarem uma quadrilha responsável pela prática de roubos, tráfico de drogas e homicídios na capital.

Os presos foram identificados como Cleysson Ismerim Souza, o ‘Riquinho’; Aislan Santos Góes, o ‘Leite’; José Carlos dos Santos Júnior; Bruno Cristian Santos Cruz Dória; Glendisson Santos Custodio, o ‘Bolota’, e um adolescente de 17 anos. Com eles, a polícia apreendeu uma pistola calibre ponto 40, um revólver calibre 32 e dois revólveres calibres 38, com diversas munições, cocaína e crack.

Na abordagem ao grupo, um dos suspeitos, Aislan, disparou contra os policiais, mas quatro munições foram picotadas. Ele tentou dispensar a arma e fugir, mas acabou perseguido e preso, e o revólver apreendido. Já o suspeito José Carlos dos Santos Júnior, vulgo Junior, estava foragido da justiça, suspeito da prática de diversos homicídios e atentados perpetrados recentemente no centro comercial de Aracaju, no bairro Ponto Novo e no Conjunto Augusto Franco, dentre eles, o homicídio por arma de fogo praticado contra o desafeto Tiago Santos, o "Tiago Bibi", em via pública, na Rua E-3 do Conjunto Augusto Franco, na noite de 17 de janeiro deste ano.

De acordo com o delegado Mario de Carvalho Leony, do DHPP, eles foram localizados por meio de denúncia anônima. "Recebemos a informação que o suspeito Junior estava com seus comparsas fortemente armados em frente a um lava jato localizado no Ponto Novo. A partir daí nossas equipes se dirigiram para o local e obtiveram êxito na operação", diz o delegado, apontando ainda que os crimes estão relacionados à disputa por pontos de vendas de drogas da região. "As investigações continuam no intuito de localizar e prender outros integrantes, portanto outras prisões podem acontecer", ressaltou o delegado.

-