Ensino Integral: Alunos conquistam universidades.

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Giulia Pardo estudou no Colégio Atheneu Sergipense e foi aprovada no curso de Enfermagem. FOto:  André Moreira
Giulia Pardo estudou no Colégio Atheneu Sergipense e foi aprovada no curso de Enfermagem. FOto: André Moreira

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/02/2017 às 00:09:00

Do Atheneu Sergipense para a Universidade de São Paulo (USP). A aluna Giulia Oliveira Pardo, 18, aluna de escola pública estadual de ensino integral foi aprovada em 1º lugar para o curso de Enfermagem. Ela está matriculada no colégio desde o primeiro ano do ensino médio e já obteve destaque recentemente por ser a única representante sergipana no programa Parlamento Jovem Brasileiro, no qual, durante uma semana, atuou como deputada na Câmara, em Brasília.

Focada em estudar na área da saúde, especificamente no curso de Medicina, Giulia, está na lista de espera para graduar-se na área pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), campus Lagarto. A jovem estudou até o ensino fundamental em escola particular, porém decidiu dar um novo rumo a sua vida, e para isso escolheu o Colégio Atheneu Sergipense.

 “Ir para escola pública foi totalmente opção minha, pois não me sentia mais bem em unidade de ensino particular. O único colégio que tinha em mente para ir era o Atheneu. Foi um choque ir para uma escola pública e, de cara, com modelo de ensino integral, no qual tinha que passar o dia todo, sem conhecer ninguém. Na época me julgaram muito pela decisão, mas me adaptei bastante ao Atheneu e fiz amigos”, relembra a estudante.

O Atheneu, assim como os centros de excelência Ministro Marco Maciel, no bairro 18 do Forte, e Vitória de Santa Maria, todos em Aracaju, oferta educação médio em tempo integral. Esse modelo de educação, segundo Giulia, foi fundamental para sua formação e aprovação em instituição de ensino superior.

 “O ensino integral foi muito importante para mim para ampliar meu conteúdo. No Atheneu, a gente tem aulas de iniciação científica, temas transversais, práticas esportivas e artes cênicas. As de temas transversais foram importantes principalmente porque abordamos sobre a vinda do negro para o Brasil e isso ajudou nas duas aplicações do Enem. Por isso considero importante abordar conteúdos extracurriculares e poder fazer projetos relacionados a isso. O Parlamento Jovem Brasileiro só foi desenvolvido porque eu tinha um professor de horário de estudo, que conseguia sentar comigo para desenvolver esse projeto”, declarou a jovem.

Para ela, ser aprovada no vestibular é algo gratificante, principalmente pela classificação ter relação com seus estudos em escola pública. “A conquista foi uma sensação única e o melhor de tudo é saber que sou aluna de uma unidade pública de ensino, e que qualquer um pode chegar a qualquer lugar, dependendo apenas de cada pessoa, da comunidade na qual a escola está inserida e da equipe de professores e coordenação. Acho que esses são fatores muito importantes”, comentou.

Giulia enfatiza que o ensino integral faz a diferença e que um dos detalhes dessa modalidade de ensino é o acompanhamento realizado pelos professores. A estudante conta que os docentes do Atheneu passam o dia todo no colégio, junto aos alunos, e que juntos, todos formam uma família. “Há professores que são como pais para mim, pois me ajudaram a crescer bastante. E muitos deles sabem da nossa história de vida. Eles são atuantes, têm contato com nossos familiares, participam ativamente da nossa vida e desenvolvem projetos até para elevar nossa autoestima”.

A mãe da jovem, a gestora da área da saúde Cláudia Pardo, disse que sempre apoiou a filha na decisão de estudar em escola pública, e que, se tivesse mais filhos, os matricularia também no Atheneu Sergipense. “A unidade de ensino pública para ela foi a melhor coisa que aconteceu em termos de formação de personalidade. Ela falou comigo que queria estudar no Atheneu e o apoio foi imediato. A vivência do ensino integral é muito importante. Na escola particular ela não tinha isso. Tenho muito a agradecer a equipe do Atheneu”, pontuou, acrescentando que ficou emocionada ao acompanhar a comemoração dos demais estudantes aprovados.

-----------------------------------------

Escolas estaduais de ensino em tempo integral têm aprovação recorde de estudantes no ensino superior

 

As três unidades de ensino da rede pública estadual que já ofertam o ensino médio em tempo integral foram as responsáveis pelos melhores índices de aprovação de estudantes em instituições públicas de ensino superior na 1ª chamada do Sisu 2017. Elas já contabilizam 120 estudantes aprovados

 Divulgado nesta segunda-feira (31), o resultado da primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2017 é motivo de comemoração para os estudantes da Rede Pública Estadual de Ensino. Sob a responsabilidade do Ministério da Educação, o sistema é a porta de entrada para o ensino superior em instituições públicas em todo o país.

 Dentre os aprovados, os destaques principais ficam por conta dos estudantes das escolas estaduais que ofertam o ensino médio em tempo integral, que são: o Colégio Estadual Atheneu Sergipense e os centros de excelência Ministro Marco Maciel e Vitória de Santa Maria.

Após conquistar o 1º lugar no curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Sergipe, Alexandre elenca como fator primordial para esse resultado a qualidade do ensino ofertado no Atheneu. “Se tivesse que cursar novamente o ensino médio, com certeza me matricularia no Atheneu. Com o sistema de ensino médio em tempo integral ofertado na escola, pudemos ter, ao longo da nossa formação, muito mais tempo e contato com os professores, e isso, seguramente, faz toda a diferença”, destaca.

 Apenas no Colégio Atheneu Sergipense, 11 alunos conquistaram o 1º lugar em cursos de graduação na Universidade Federal de Sergipe por meio das notas do Enem 2016. A escola também foi responsável pela aprovação de estudantes nos cursos de Medicina, Direito, e diversas engenharias da UFS, áreas mais concorridas da instituição.

 

 

Outras escolas - “Devo a minha aprovação à escola onde estudo. O fato de ter cursado todo o ensino médio em tempo integral contribuiu diretamente para o meu bom resultado”, resume o estudante do Estadual Marco Maciel, Leonardo Barreto, aprovado em 2º lugar para o curso de Geografia, na Universidade Federal de Sergipe.

 Morador da comunidade circunvizinha à escola na qual estuda, ele é aluno dessa unidade escolar desde o ensino fundamental e afirma que o contato com os professores acaba criando vínculos fraternais. “Como os professores ficam na escola durante as oito horas em que também permanecemos aqui, isso nos dá muito mais tempo para tirar nossas dúvidas e ampliar o nosso aprendizado”, enfatiza.

 Além de Leonardo Barreto, o Centro Experimental Min. Marco Maciel aprovou também, em primeiro lugar, no curso de Engenharia de Petróleo e Gás (UFS), o estudante José Mateus, também aluno do ensino médio de tempo integral. Assim como eles, outros nove alunos concluintes do ensino médio já conquistaram uma vaga na universidade pública. Número que ainda pode aumentar, com as próximas chamadas do sistema.

No Centro de Excelência Vitória de Santa Maria, os dois principais destaques foram os resultados dos estudantes Daiane Cruz e Marcelo Conceição, que conquistaram o 1º lugar em Letras/Português e o 3º lugar em Ciências da Computação, respectivamente, ambos na Universidade Federal de Sergipe.