Consumo de gás natural cresceu em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/02/2017 às 09:24:00

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS), apontou que foram consumidos, no mês de novembro do ano passado, uma média de 288,5 mil metros cúbicos (m³) de gás diário em Sergipe. O consumo de gás foi 4,1% superior ao registrado no mesmo mês do ano anterior (novembro/2015), já em comparação com o mês imediatamente anterior, outubro de 2016, o crescimento foi de 1,4% no consumo.

O consumo médio das indústrias sergipanas foi de 188,5 mil m³/dia, maior 2,2%, na comparação mensal (outubro/2016), e na comparação com o mesmo mês do ano anterior (novembro/2015) o crescimento foi de 5,3%. O aumento no consumo de gás natural pelas indústrias sergipanas está em consonância com a expectativa do presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, que afirmou: “Esperamos uma recuperação gradual da demanda por gás natural, principalmente na indústria, que sofreu impacto direto da desaceleração econômica do País nos últimos anos”.

 

Consumo de gás por segmento - Analisando por segmento, o consumo nas indústrias continua tendo a maior participação (65,3%), seguido pelo consumo automotivo (postos), com 31,2%. Em conjunto, estes segmentos responderam por mais de 96,5% do total de gás consumido em Sergipe.

O consumo do segmento veicular somou 89,9 mil m³/dia, apresentando leve queda de 0,6%, em relação ao mês anterior. Entretanto, na comparação anual, o consumo ficou 3,4% maior. O consumo de gás natural para cogeração ficou em 1,7 mil m³/dia, o que representou recuo, na comparação mensal, de 12,6%. Na comparação anual (novembro/2015) a redução foi praticamente a mesma, ficando em 12,9%.

Nas residências e no comércio, o volume consumido foi de 5,1 e 3,4 mil m³/dia, respectivamente. Para as residências, o consumo de gás apresentou elevação de 9,8%, já no comércio, o consumo foi 6,3% superior, ambos em relação ao mês anterior. Em relação ao mesmo mês do ano anterior (novembro/2015), o consumo residencial ficou 32,4% acima, enquanto o consumo comercial cresceu 19,4%.