Secretário esclarece ampliação do Ensino Médio Integral

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/02/2017 às 00:56:00

O secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, reuniu-se na manhã desta quarta-feira, 1º, com os coordenadores dos 44 polos do Pré-universitário para esclarecer e dirimir dúvidas em relação à implantação do Ensino Médio Integral.

Na ocasião, Carvalho voltou a garantir que a implantação do programa nas escolas de Sergipe acontecerá de forma gradativa e planejada, com vistas a cumprir o que determinam o Plano Nacional de Educação, discutido e aprovado com toda a sociedade brasileira em 2014, e o Plano Estadual de Educação, também discutido e aprovado com toda a sociedade em 2015.

O secretário lembrou que ao cumprir as legislações federal (PNE) e estadual (PEE), o Governo de Sergipe ampliará consideravelmente a oferta de vagas no ensino médio integral, saltando de uma matrícula de 3% (1.825) nessa modalidade de ensino, em 2016, para 42% (25.969) até o ano de 2021. A meta é atingir o mínimo de 50% até o ano de 2024.

 

Recursos investidos - Ele lembrou que os repasse de recursos do Governo Federal para as escolas que implementarão o ensino médio integral serão feitos ao longo de 10 anos e aplicados em melhoria das instalações físicas das escolas, como construção de quadras poliesportivas e refeitórios, nas escolas onde ainda não houver esses espaços, e na construção e modernização de laboratórios de ciências e bibliotecas, por exemplo.

Cada uma dessas escolas receberá, este ano, apenas para investimentos em infraestrutura, entre R$ 500 mil e R$ 1 mi. Para 2018, será repassado para cada unidade que ofertará o ensino médio integral R$ 1,6 mi; e em 2019, os valores chegarão a R$ 2,5 mi por escola.

 

Vagas garantidas - O estudante que está cursando o ensino médio regular em alguma das 18 escolas que a partir deste ano darão início à implementação do regime integral poderá optar por continuar na modalidade regular e não precisará transferir sua matrícula para outra unidade escolar caso não queira migrar para a ensino médio em tempo integral.

Será garantida matrícula a todos os estudantes que procurarem e hoje estão fora do ensino médio, os quais somam atualmente 17% da população sergipana, com idade entre 15 e 17 anos.

 

Articulação com os municípios - Com relação aos municípios em que há apenas uma escola de ensino médio, e esta mesma unidade aderiu ao modelo de ensino médio integral, o governo estadual, por meio da Seed, trabalha com a disposição de adaptar uma outra unidade de ensino da rede, na mesma cidade, para ofertar do Ensino Médio Regular, e, deste modo, garantir que nenhum estudante fique fora da escola, fazendo com que a escola pública absorva a maior quantidade de alunos possível.

 

 

Professores - Os professores lotados nas escolas estaduais que aderiram ao Ensino Médio Integral atuarão em regime de dedicação exclusiva. Eles receberão uma gratificação de 100% sobre o vencimento básico, que é o piso da categoria, correspondente a R$ 2.298,80 este ano. Há possibilidade de acúmulo dos dois vínculos na mesma escola.

 

Refeições - Serão oferecidas cinco refeições diárias – café da manhã, almoço, jantar e mais dois lanches –, que serão servidos no intervalo entre as duas primeiras refeições. As escolas receberão do Governo Federal recursos que possibilitarão a construção ou adequação dos refeitórios e cozinhas para suportar a nova demanda, e também pelo reforço orçamentário para a merenda escolar que o governo estadual terá, recebendo, em vez dos atuais R$ 0,36 por aluno para refeição, R$ 4,00 a partir deste programa.