Operação contra o tráfico na Barra tem quatro presos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/02/2017 às 00:00:00

Uma operação deflagrada na última segunda-feira por agentes do Departamento de Narcóticos (Denarc) e Divisão de Inteligência da Polícia Civil (Dipol), em parceria com militares do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp) e Comando de Operações Especiais (COE), resultou na prisão de uma associação criminosa responsável pelo domínio do tráfico de entorpecentes na Grande Aracaju. Entre os quatro presos, está Jasonias Silva, o ‘Nias’, apontado como líder da quadrilha. Além dele, foram presos: Itamara dos Santos Ferreira, esposa de ‘Nias’; Melquizedeque Barreto de Lima, o ‘Meelk’; e Antônio Alves de Sousa Júnior, o ‘Júnior Paraíba’. Também foram cumpridos dois mandados de condução coercitiva e três mandados de busca e apreensão.

De acordo com a delegada Maria Pureza Machado, do Denarc, as investigações começaram em novembro do ano passado, após a coleta de informações das equipes do COE apontando a participação da associação criminosa responsável pelo domínio do tráfico de drogas nos municípios de Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros e na capital.

No decorrer das investigações, ficou evidenciado o envolvimento dos integrantes e a função de cada um na associação criminosa. Um dos suspeitos, Júnior Paraíba, havia sido preso em 18 de novembro de 2016, quando foi flagrado transportando para o grupo, em seu veículo, cerca de dois quilos de maconha prensada. Logo após a sua liberação do sistema prisional, o acusado voltou a atuar na distribuição dos entorpecentes.

Ainda confirme a polícia, o alvo principal da ação foi Jasonias, apontado como o líder de uma quadrilha responsável por controlar o tráfico na Invasão do Pantanal, no Inácio Barbosa (zona sul), e nos municípios de Nossa Senhora do Socorro e Barra dos Coqueiros. As investigações afirmam que ele disputava o controle do tráfico na região do Pantanal como seu rival, Ronaldo dos Santos, o ‘Zé do Pantanal’, que foi preso no ano passado, durante a ‘Operação Onça Pintada’, e fugiu do Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho (Compajaf). ‘Nias’ também já foi processado por crimes de tráfico de drogas, homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo e receptação, entre outros. (da SSP)