"Estamos construindo obras para a Aracaju moderna", diz Jackson Barreto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto


Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/02/2017 às 00:25:00

O trabalho de milhares de pescadores sergipanos está sendo valorizado, assim como a produção local obtém destaque, através da construção do Terminal Pesqueiro Público de Aracaju. As obras foram visitadas na manhã desta quinta-feira, 02, pelo governador Jackson Barreto, que destacou a visibilidade que a intervenção fornece aos trabalhadores do setor. Moderna e com equipamentos que vão proporcionar melhor qualidade no manejo e comercialização dos pescados, a iniciativa do Governo do Estado fortalece a economia local, e promove geração de emprego e renda. Ao todo, são investidos R$ 14.376.700,10. Além dessa obra, o governador visitou também a intervenção que vai promover a ligação entre as avenidas Augusto Franco e Gasoduto, próximo ao viaduto do Detran.

"O Terminal Pesqueiro é uma obra pioneira em Sergipe. Nosso estado nunca teve um espaço desse porte para atender aos pescadores. Essa obra significa o abrir do coração do governo e do seu compromisso social para com uma categoria muito esquecida. Isso vai fortalecer a comercialização do peixe, o trabalho dos pescadores, o turismo em nossa cidade, e vai dar a esse segmento fundamental da economia melhores condições de atuação. Estou aqui extremamente satisfeito. Essa obra é a maior conquista de 27 colônias de pescadores sergipanos, setor que era esquecido pelo estado. O terminal demonstra que não deixa nada a desejar e que haverá condições de trabalho com mais dignidade. Espero que aqui tenhamos um marco fundamental de fortalecimento de uma categoria, que nunca foi olhada respeito profissional”, declarou o governador.

O novo Terminal Pesqueiro Público de Aracaju fica às margens do rio Sergipe e está localizado em frente à área do Mercado Municipal. O objetivo do novo espaço, construído spor meio de convênio entre Governo do Estado e Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca, é permitir que pescadores de diversas colônias tenham um espaço digno para tratar e distribuir pescados e frutos do mar, e que consumidores tenham acesso a alimentos conservados em espaços limpos e refrigerados.

O secretário de Estado da Agricultura e Pesca, Esmeraldo Leal, explicou que, com a estruturação adequada e atendimento às condições de higiene proporcionados pelo Terminal Pesqueiro, Sergipe poderá exportar sua produção não só para outros estados, como outras localidades do mundo. “O pescado que sair daqui em função da qualidade e higiene pode ir para qualquer lugar, pois possuirá o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF). Isso é diferente de alguém pegar um cesto, despejar o pescado e não ter para quem vender institucionalmente. Com o selo, que é emitido pelo Ministério da Agricultura, atestando a qualificação, por exemplo, é possível exportar o pescado. E há países querendo nossos produtos”.

Aliada a essa questão, o superintendente federal de Agricultura em Sergipe, José Everaldo de Oliveira, explica que a ausência de um Terminal Pesqueiro em Sergipe proporciona perda de arrecadação e, por isso, a construção de um espaço destinado ao setor trará condições para que o Estado possa não só possa fiscalizar a produção, como incrementar sua arrecadação.

Essencial na transformação da piscicultura local, o espaço fortalece o setor e promove um ambiente apropriado para armazenamento de pescados. Outro detalhe da nova intervenção é que os trabalhadores da pesca terão acesso a câmara frigorífica e fábrica de gelo, que proporcionarão o acondicionamento dos alimentos de maneira higiênica e saudável.

O vice-presidente da Associação Socorrense dos Carcinicultores, Luis Marques, vislumbra o Terminal como uma obra interessante e que vem em boa hora. Acreditava que o projeto ia sair do papel, pois em tudo que o governador se envolve, as coisas acontecem. Sentimo-nos valorizados por ele. Foi o único governador que chegou falando a linguagem do pescador. Estamos muito otimistas com essa intervenção”, afirmou.