Homenagem a Marisa Letícia reuniu militância petista e simpatizantes na tarde desta sexa-feira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/02/2017 às 00:51:00

Militância petista e simpatizantes prestigiaram o ato ecumênico em homenagem à memória da companheira Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Lula há 43 anos, que faleceu nesta quinta-feira, 02. Realizado em frente à sede do Partido dos Trabalhadores, na tarde desta sexta-feira, 03, o culto contou com mística de abertura que emocionou os presentes e apresentou a diversidade de atores sociais, movimentos e lutas que permearam a vida de Marisa Letícia.

Celebraram coletivamente o momento de fé, Chico Buchinho, representando a Comunidade Espírita; a Yalorixá e representante do Conselho Nacional de Resistência Afro Brasileira, Maria Angélica, que falou em nome das religiões de Matriz Africana; o Pastor Paulo Marinho, representante das Igrejas Evangélicas; e o Padre Givanildo, em nome da Igreja Católica, fé professada pela homenageada.

A deputada estadual Ana Lúcia abordou o cuidado com o respeito a todos os credos durante o ato em homenagem à ex-primeira dama. "Apesar de Marisa Letícia ter sido criada na fé católica, que professou até o fim de sua vida, o Partido dos Trabalhadores acolhe todas as religiões e todos os ateus. Por isso, escolhemos realizar um ato ecumênico na tarde de hoje", destacou.

Dirigentes e militantes petistas carregaram bandeiras importantes para a luta social do país, que permearam a história de Marisa Letícia: o deputado federal João Daniel levou a Bandeira do Brasil, simbolizando a luta pela inclusão social; o presidente do Diretório Estadual do PT, Rogério Carvalho segurou a bandeira do PT; a militante petista e sindicalista Ivônia carregou nas mãos a bandeira das mulheres petistas, rememorando a luta de Marisa como mulher engajada.

Também a presidente do sindicato das domésticas de Sergipe, Quitéria, levou a bandeira da CUT, central sindical fundada por Lula, simbolizando a luta da classe trabalhadora. Outros companheiros também carregaram bandeiras de movimentos sociais e populares, centrais sindicais e partidos de esquerda: Movimento Negro, UGT, PC do B, MST, CTB e MPA.